História do Mundo

Deportivo Mensajero: Das obras nasceu um exemplo de fidelidade

Deportivo Mensajero: Das obras nasceu um exemplo de fidelidade

Nebel Acosta Peréz ajudou a remodelar o estádio do Deportivo Mensajero e, anos depois, continua sem falhar um jogo em casa da equipa espanhola, sempre no mesmo sítio.

O estádio chama-se Silvestre Carrillo porque, há muito tempo, foi construído num terreno onde antes estavam as hortas do cidadão com o mesmo nome. E uma das bancadas bem podia ser batizada de Nebel Acosta Peréz. Primeiro, e não menos importante, porque ajudou a construí-la. E depois porque, sempre que o Club Deportivo Mensajero joga em casa, lá está ela, isolada de quase todos, mas sempre fiel ao clube de sempre.

1974. Nebel e o marido regressam às Canárias, depois de anos a tratar da vida na Venezuela. Arranjaram casa em La Palma e logo travaram conhecimento com o pequeno clube da terra. Amor à primeira vista. A ligação foi-se estreitando e quando, por falta de meios, financeiros e não só, o Mensajero se meteu na aventura de remodelar o estádio e cimentar novas bancadas, o casal Peréz foi dos primeiros a pôr os dedos no ar. Uns contribuíram com cimento, outros deram as ferramentas, eles levavam o camião para carregar o material.

Anos depois, quando os responsáveis do "Mense" renderam homenagem aos heróis que abrilhantaram o património do clube, Nebel Acosta já era viúva, mas nem a inevitabilidade do destino a afastou da segunda casa. Pelo contrário, até parece que o desgosto a fez agarrar com ainda mais força ao Club Mensajero. E nem os muitos respeitáveis 74 anos são suficientes para lhe mudar a rotina.

Não importa o adversário, as condições climatéricas, nem se a equipa joga bem ou mal, ganha muito ou perca mais do que devia. Sempre que há jogo no Silvestre Carrillo, Nebel Acosta Peréz está no mesmo sítio, com o cachecol de uma vida e entusiasmada como se fosse a primeira vez. "Fica sempre no mesmo lugar, ainda que a bancada tenha crescido e mudado ao longo dos anos", confirmou o filho Miguel Ángel, ao jornal "ABC". A rotina inclui ainda que, em dia de jogo, a senhora Nebel já esteja sentada no sítio de sempre uma hora antes do apito inicial.

Mal entram para o aquecimento, é automático, os jogadores já sabem para onde olhar. Porque ali só vem carinho, palavras de incentivo e até cânticos encorajadores, entoados carregados de orgulho e saídos da alma de quem ganhou o coração do Club Deportivo Mensajero por direito próprio.

ver mais vídeos