Premium

Formar craques à custa de muito sentimento

Formar craques à custa de muito sentimento

Boavista tem recuperado fulgor e volta a fazer jus ao estatuto de referência na formação de futsalistas.

A bandeira da formação está de volta ao topo da haste. Recuperado o fulgor perdido no período mais delicado da história, o Boavista voltou a ter o estatuto de referência na arte de bem formar e tem vários craques a despontar. Alimentar a equipa principal, que disputou a fase de subida da 2.ª Divisão e na qual mais de 80% do plantel é formado no Bessa, é a principal prioridade dos responsáveis axadrezados.

"O Boavistão estará de volta a curto/médio prazo". A garantia é dada por António Morais, responsável máximo pelo futsal do Boavista, salientando que o clube "está a recuperar depois de ter caído no inferno", em alusão ao período delicado que passou o emblema do Bessa, bem como da descida ao Distrital da equipa de futsal. "Fomos resistindo e estamos a renascer, crescendo sustentadamente. A formação foi, é e será sempre uma das nossas bandeiras e a base de sustentabilidade", realça o histórico dirigente, considerando ser "fundamental o Boavista ter um novo pavilhão". Atualmente, as diversas equipas do clube estão divididas por quatro pavilhões da cidade.