O Jogo ao Vivo

Premium

Infante na rota do hóquei com muita ambição

Infante na rota do hóquei com muita ambição

Clube portuense tem mais de 200 atletas na formação. Falta-lhe nova infraestrutura para continuar a crescer

Já lá vão 83 anos desde que o Clube Infante de Sagres partiu à descoberta do mundo do hóquei em patins. E nesta rota com bastante história, que conta com várias presenças em campeonatos nacionais, o clube portuense foi arrecadando não só títulos, mas também medalhas morais. "A evolução tem sido em número, com mais atletas, mas também em estabilidade. Temos todos os escalões possíveis. Desde a iniciação, aos bambis, passando por benjamins, escolares, sub-13, sub-15, sub-17, sub-20 e, mais recentemente, os sub-23", começou por dizer Paulo Castanheira, presidente do clube. Uma oferta competitiva que, segundo o dirigente, não se restringe ao setor masculino. "Para além de todas as equipas masculinas, também temos uma equipa feminina. Na verdade, entre rapazes e raparigas, temos cerca de 200 atletas", conta.

A conduzir o destino do Infante Sagres há quatro anos, Paulo Castanheira não duvida que o futuro do clube está bem encaminhado. Afinal, quando os princípios basilares são fortes, não há tempestade que consiga desviar os sonhos. "Ser atleta do Infante não é só ser aguerrido. É necessário ter uma determinada postura. Aqui, damos muito valor aos bons princípios, como o respeito, o bom comportamento e a boa imagem. A relação familiar e de entreajuda que este clube cultiva diariamente também ajuda nestes objetivos", disse.