Teste de produto

Saucony Kinvara 10: a "cabeça do mar", ou peixe na água

Saucony Kinvara 10: a "cabeça do mar", ou peixe na água

Uma misteriosa caixa negra com um desenho em brilho, a dar ideia de um peixe, chegou-nos na volta do correio.

Digam que é inútil, mas numa altura em que a reciclagem é palavra de ordem e as caixas têm várias vidas, esta em particular é um objeto de rara beleza. Dentro, as Saucony Kinvara 10, brancas e azuis, simples, com ar arejado.

"Parece um peixe!" gritou a miúda lá de casa quando as descobriu. E parecem mesmo. Ou melhor: parecem os pés, quando nelas se enfiam, um peixe na água. O que faz todo o sentido sendo elas as Kinvara, nome que foi buscar ao irlandês Cinn Mhara, vila portuária de Galway mas também expressão "cabeça do mar".

Numa escala de zero a 10, a última evolução das Kinvara é claramente um 10. O encaixe é perfeito e as almofadinhas laterais na zona do tornozelo, que alguns consideram inúteis, conferem, a nosso ver, a estabilidade que muitas vezes falta naquela zona. E protegem o Aquiles, sem puxar as meias para baixo, como temíamos.

São sapatilhas neutras e minimalistas no que à diferença entre calcanhar e dedos diz respeito - 4 mm, quase nada e a garantia da sensação de passada descalça. Para os nossos pés e as nossas canelas, são favoritas.

Outra nota: a leveza decorrente das tecnologias Everun e EVA+ da sola, aumentada pela redução de borracha consistente a duas zonas, a lateral do calcanhar e sob os dedos. Total: 190 gramas no modelo feminino, 221 no masculino. Há quem diga que o contacto da sola de espuma EVA+ com o solo torna-as escorregadias em tempo húmido. Não notámos.

De malha fina e muito respirável e com a língua presa ao resto, as Kinvara 10 são frescas e evitam fricções desnecessárias. E incluem tiras internas para mais estabilidade.

No terreno, revelam-se rápidas e com uma excelente resposta na passada, mantendo a sensação de amortecimento do impacto, mesmo em distâncias mais longas.

E agora, um senão: testámos sapatilhas brancas. Ao fim de 10 km, deixaram de sê-lo, dado que a fina malha parece acumular poeira com bastante afinco. E diz quem avaliou o modelo de cor que é igual. A cor esbate-se.

Assim como assim, uma sapatilha manchada é uma sapatilha usada. E esta, com toda a garantia, sê-lo-á por muitos e bons quilómetros.

Preço recomendado pela marca: 135€

Nota: o produto foi facultado pela marca

Imobusiness