Premium

No território do hóquei o voleibol ganha espaço

No território do hóquei o voleibol ganha espaço

Resultados do CART ajudam ao aumento do número de atletas. Parcerias com as escolas são importantes

O Centro de Atividades Recreativas Taipense (CART), sediado na vila de Caldas das Taipas, em Guimarães, é conhecido pelo hóquei em patins, mas o voleibol feminino tem dados passos seguros rumo a um crescimento que se espera acentuado nos próximos anos. Lima Pereira, atual coordenador da modalidade e responsável pela reativação do voleibol em 2009, na altura como presidente, não está arrependido pela aposta e conta com 65 atletas na formação. "É uma modalidade que está numa fase de crescimento e há muitas atletas interessadas em praticarem voleibol. Os resultados têm ajudado, mas as referências recolhidas do clube também têm sido cruciais para o engrandecimento", justificou o dirigente, recordando que o sucesso é visível fora da vila.

"Há dois anos tivemos algumas atletas a treinarem com a seleção nacional e uma delas chegou mesmo a ser selecionada. No final dessa época, acabou por sair para outro clube", explicou. "Mas temos conseguido segurar grande parte das atletas, quer pelos resultados que temos conseguido, quer pelo projeto e condições de trabalho oferecidas", acrescentou. No que diz respeito às infraestruturas, Lima Pereira agradeceu os apoios recebidos. "Com a construção da Escola EB23 das Taipas conseguimos melhorar significativamente as nossas condições de trabalho. E, como também voltamos a trabalhar na Escola Secundária das Taipas, estas duas parcerias têm permitido evoluir e dar à juventude as condições necessárias e dignas para o desenvolvimento e crescimento das atletas. Sem estas duas parcerias, não teríamos locais para treinar", reconheceu. "É uma parceria que faz todo o sentido. As jogadoras estudam nessas escolas e o trabalho que é feito nessas escolas também é aproveitado pelo CART. Ficam todos a ganhar", recordou.