Teste de produto

Rápido e bem, com as Saucony Switchback

Rápido e bem, com as Saucony Switchback

Já passaram pelas nossas mãos, ou melhor, pelos nossos pés, vários modelos da Saucony. Não é uma estreia e a marca, muito apreciada entre atletas de estrada, já provou o valor que tem nos modelos de trail, cujos fãs vem conquistando.

As Switchback são, a nosso ver, as sapatilhas de trail mais flexíveis e leves que alguma vez testámos. Estamos a falar de 278 gramas num modelo que é otimizado para monte.

Imaginem aquelas chinelas que os karatecas utilizam. Estão a ver a flexibilidade e forma como o calcanhar toca na ponta com a maior das facilidade? As Switchback são assim.

É verdade que os fãs do amortecimento podem torcer o nariz. Tivemos dúvidas em relação à segurança da planta do pé em pisos mais técnicos.

Ao abrir a caixa

São uns limões que parecem brilhar no escuro. Quem treinar ao vosso lado, seguramente não se vai perder. Os esquemas de cor dos modelos de trail e estrada da Saucony sempre foram distintos, na falta de melhor termo. Não há como ter um meio termo. Ou se ama ou se odeia.

Rodar é igual a apertar

O aspeto que salta mais à vista é a forma de aperto da sapatilha. A Saucony aplicou a melhor tecnologia de aperto semi-automático. Muito difícil de perceber? De lado, temos uma roda que ao girar para a direita aperta o cordão de forma uniforme. Já tivemos oportunidade de testar esta tecnologia num outro modelo e somos clientes satisfeitos. O encaixe e conforto no aperto são muito bons. Para os mais céticos desta tecnologia, podem pesquisar por "BOA fit system" e vão perceber que é utilizada em áreas desde o calçado técnico de lenhadores até às botas de snowboard.

A entresola é composta por Everun, uma esponja de amortecimento desenvolvida pela Saucony que se estende em toda a área da sapatilha.

A sola é diferente de tudo o que temos visto. Faz lembrar um crocodilo.

Calçar e treinar

Usamos as Switchback ao longo de aproximadamente 80 quilómetros, com pisos que variaram entre asfalto, gravilha, terra fofa e dura, travessias de cursos de água, lama e pedra.

São sapatilhas para quem quer andar depressa. Dão vontade de correr mais rápido, por muito estranho que possa parecer. Tiveram um comportamento excelente na maioria dos terrenos, sendo que em terrenos mistos com pedra deixou um bocado a desejar na tração.

Em resumo

São sapatilhas minimalistas com um drop de 4mm (diferença de altura entre calcanhar e ponta do pé). Entre velocidade e distância, a balança pende quase na totalidade para a primeira. Vão ser excelentes parceiras para os atletas de trails curtos que queiram maior performance, sem sacrifício de conforto.

O preço recomendado é de 150€

Nota: O produto foi-nos facultado pela marca.