Teste de produto

Triumph 20, fiéis à tradição

Triumph 20, fiéis à tradição

Menos peso e mais reatividade fazem da vigésima edição do ícone da Saucony um modelo seguro na fidelidade às origens.

Parece confirmar-se que em equipa vencedora não se mexe: as Triumph 20 mantêm o clássico amortecimento que fez dela a sapatilha de corrida mais vendida da marca americana.

Trata-se, nesta versão adulta, de melhorar o que já era bom. Continuam confortáveis e rápidas. E acrescentam a graça de uma propulsão ampliada pela maior quantidade de espuma.

PUB

Mas vamos por partes.

Ao primeiro contacto percebemos que são mais leves do que as irmãs 19 (o nosso sapato, de mulher, pesa 244 gramas, o de homem anda nos 290, menos 15 gramas do que o anterior!) e, o que não será pormenor desprezível, são mais bonitas, pelo menos aos nossos olhos. Ou será do modelo que nos chegou, um branco acinzentado com laivos de azul forte, dois pormenores rosa e o símbolo da marca dourado.

Escrevemos sobre as 19 que eram das sapatilhas diárias mais rápidas que nos foi dado testar. As 20, apesar do reforço do amortecimento - têm mais cinco milímetros de altura e, agora, um drop de 10 milímetros (27/37 mm) contra os oito das anteriores -, mantêm a performance. Nem mais nem menos.

A espuma é a PWRRUN+, um melhoramento pela leveza, o que torna as Triumph 20 ideais para longas distâncias.

A forma da sola, ligeiramente em barco, oferece aquela sensação de balanço que encontramos muito desenvolvido noutras marcas e que também tem alguma graça.

Outra diferença está na malha superior, em material reciclado, elástica para se ajustar ao pé, sem dar margem a fricção, e com reforço de proteção na língua e no calcanhar. Quem se atrapalhar com esse tipo de aconchego deverá pensar duas vezes.

A nova forma de atacadores também favorece o ajustamento, com o pormenor rosa do sapato a puxar o atacador da parte média do pé.

E aqui começam os pontos negativos: os atacadores são muito curtos! Para pessoas como nós, que gostam de nós duplos, não chega. De todo.

Nota negativa merece também a borracha da sola. Como acontecera com as Tempus, novo lançamento do ano na Saucony, escorregam em piso molhado como o do Porto (paralelos, entenda-se)...

Claro, sobra o preço. É alto (PVP sugerido de 180 euros), mas hoje já nem uma lata de atum é barata...

Nota: o produto foi fornecido pela marca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG