Futebol

Estudo sobre demência. Escócia proíbe cabeceamentos antes e depois dos jogos

Estudo sobre demência. Escócia proíbe cabeceamentos antes e depois dos jogos

Um estudo que demonstra que os futebolistas ficam mais sujeitos a ​​​​​​​poder morrer de doença cerebral ou a desenvolver demência está na base da decisão da federação escocesa de futebol.

A federação escocesa de futebol decidiu proibir os jogadores de praticarem cabeceamentos na bola na véspera de um jogo, bem como no dia seguinte à partida.

De resto, a organização aconselha os clubes a limitarem a uma sessão semanal os exercícios que impliquem jogar a bola com a cabeça.

PUB

Na base da decisão está um estudo levado a cabo por Willie Stewart, da Universidade de Glasgow, que demonstrou que o risco de os futebolistas poderem falecer de doença mental ou de desenvolverem demência é 3,5 vezes superior ao da restante população, devido aos cabeceamentos excessivos na bola durante os treinos e os jogos.

"A Federação já havia defendido que estudos como este devem moldar a forma como se pensa o futebol em todo o mundo. A nossa intenção é que estas recomendações tenham efeitos imediatos", revelou Ian Maxwell, responsável pela federação escocesa.

De referir que aquela entidade já havia proibido os cabeceamentos em jogos disputados por crianças até aos 12 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG