Futebol

F. C. Porto classifica queixas do Benfica como "alarvidades"

F. C. Porto classifica queixas do Benfica como "alarvidades"

Em comunicado, os dragões reagiram às queixas das águias em relação à arbitragem no clássico e à exigência de "árbitros estrangeiros".

O clássico F. C. Porto - Benfica foi há dois dias, mas ainda continua... fora do campo. Depois das queixas e acusações do Benfica, principalmente à arbitragem de Artur Soares Dias, os dragões reagiram esta segunda-feira, num comunicado intitulado "Condicionar, perder, condicionar (bis)".

O F. C. Porto fala em "condicionamento pré-match" que continua após o encontro.

"Consideramos que este expediente de condicionamento pré-match prossegue agora em sucessivas tomadas de posição públicas do SL Benfica, reclamando, entre outras alarvidades, árbitros estrangeiros para o que resta do campeonato. Como a memória nestes casos é sempre curta, recordamos que na época passada, após a derrota que lhes infligimos na meia-final da Taça da Liga, o presidente do SL Benfica declarou (ou proclamou) que o árbitro desse jogo não poderia continuar em funções", lê-se na nota.

O F. C. Porto considera que a vitória sobre as águias "instalou na Direção do SL Benfica a dúvida sob a real capacidade do seu treinador e dos seus jogadores para o que resta do campeonato. Sejam os árbitros nossos concidadãos ou estrangeiros".

Leia o comunicado na íntegra:

"Condicionar, perder, condicionar (bis)

Após a partida que muitos tentaram condicionar com expedientes fora das quatro linhas e com eco em diversos media, e a campanha em curso por para condicionar a luta pelo título tal como aconteceu na época passada,

1. Informamos que deu hoje entrada, na Procuradoria Geral da República, no Porto, uma Denúncia-Crime contra Eduardo Dâmaso e António José Vilela, respetivamente, Diretor da Revista "Sábado" e Diretor-Adjunto e jornalista da referida revista, pela indigna manifestação de jornalismo da "Sábado" da passada quinta-feira, que se entende integrar, pelo menos, dois ilícitos criminais e em relação à qual a Administração do Grupo Cofina não podia ser alheia, tal o conjunto de referências e recalcamentos que fez da dita edição nos seus diversos meios,

Esperamos que a presente Denúncia faça o seu caminho até às ultimas consequências e que não se veja arquivada como tantas outras com pífias justificações,

E que finalmente se encontre remédio para as toupeiras que vão populando os diversos meios do aparelho de Estado.

2. Deste modo, consideramos que este expediente de condicionamento pré-match prossegue agora em sucessivas tomadas de posição públicas do SL Benfica, reclamando, entre outras alarvidades, árbitros estrangeiros para o que resta do campeonato.

Como a memória nestes casos é sempre curta, recordamos que na época passada, após a derrota que lhes infligimos na meia-final da Taça da Liga, o presidente do SL Benfica declarou (ou proclamou) que o árbitro desse jogo não poderia continuar em funções.

É desta recordação que vive a atual novela, a qual, como é fácil ver, resulta no essencial da forma como o FC Porto venceu no sábado passado o SL Benfica com futebol e golos sem margem para qualquer dúvida, o que instalou na Direção do SL Benfica a dúvida sob a real capacidade do seu treinador e dos seus jogadores para o que resta do campeonato,

Sejam os árbitros nossos concidadãos ou estrangeiros".

Outras Notícias