Futebol

F. C. Porto vence Benfica e reduz distância para a liderança

F. C. Porto vence Benfica e reduz distância para a liderança

O F. C. Porto venceu (3-2), este sábado, o Benfica numa 20.ª jornada da Liga em que os dragões desenharam o triunfo no primeiro tempo.

Os tentos de Sérgio Oliveira, aos 10 minutos, Alex Telles, aos 38, de grande penalidade, e Rúben Dias, na própria baliza, aos 44, selaram a vitória dos dragões, que chegou a ser beliscada com a reposta do Benfica, por intermédio de Vinícius, que por duas vezes reduziu, marcando aos 18 e 50, e já leva 15 na prova.

Com este triunfo, o F. C. Porto, segundo classificado, conseguiu reduzir para quatro pontos a desvantagem para o líder Benfica, passando a somar agora 50, e quebrando uma impressionante série de 16 triunfos consecutivos que os lisboetas levavam na Liga.

Com Pepe a surgir como principal novidade no onze do F. C. Porto, após um mês de ausência devido a lesão, e Weigl a regressar também à titularidade no Benfica, os azuis e brancos entraram para este duelo sem margem de erro para manter as aspirações no título.

Nesse sentido, os nortenhos começaram cedo a fazer pela vida, protagonizando uma melhor entrada, e, já depois de uma primeira ameaça, num cabeceamento de Pepe ao lado, desataram o nó logo aos 10 minutos, na sequência de um livre cobrado por Otávio, em que Luis Díaz ainda falhou um pontapé acrobático, mas que Sérgio Oliveira surgiu nas costas para faturar.

O Benfica não se intimidou com a entrada e rompante dos locais, e demorou apenas oito minutos para responder com eficácia, num contra-ataque desenhado por Rafa, a que Chiquinho deu sequência com um cabeceamento que Marchesin desviou com uma palmada, mas deixando a bola à mercê de Vinícius, que encostou para o empate.

Os tentos madrugadores vieram dar maior dinâmica ao golo, mas também aumentar a tensão entre as equipas, obrigando o árbitro Artur Soares Dias a agir disciplinarmente para serenar os ânimos.

Ainda assim, o F. C. Porto conseguiu adaptar-se melhor a esta toada, mostrando-se, nessa fase, mais eficaz na circulação da bola para chegar à área contrária, perante um Benfica com menor fluidez do que em outras ocasiões e, sobretudo, mais nervoso.

Já depois da meia hora, e também na sequência de um livre, a bola bateu no braço de Ferro, depois de um cabeceamento de Soares, e o árbitro, após visualizar as imagens do VAR, assinalou grande penalidade, que Alex Telles transformou, aos 38 minutos.

Este segundo golo dos dragões pesou na confiança dos lisboetas, que, demoraram a reagir, não disfarçando alguma desorganização no último reduto, que o F. C. Porto ainda conseguiu capitalizar antes do descanso, quando Rúben Dias, pressionado por Soares, desviou para a própria baliza um cruzamento de Marega, ampliando vantagem dos anfitriões.

O tempo descanso foi benéfico para os comandados de Bruno Lage, que regressaram ao desafio mais serenos e estruturados na sua construção de jogo, retirando frutos dessa postura logo aos 50 minutos, quando Vinícius, servido por Rafa, bisou e relançou o desafio.

A resposta do Benfica causou alguma intranquilidade ao F. C. Porto, que, para a disfarçar, tentou por algum gelo no jogo, só respondendo através num livre Sérgio Oliveira, por cima.

Os encarnados pareciam, então, sentir-se mais confortáveis com o ritmo do jogo e, já com Seferovic no lugar do amarelado Taarabt, conseguiam uma presença mais regular no meio campo portista, frisada com um remate de Chiquinho, ao lado, já depois de Luis Díaz ter obrigado o guarda-redes do Benfica a defesa apertada.

No entanto, o avançar do cronómetro tirou algum discernimento às movimentações dos dois conjuntos. A precisar de arriscar, Bruno Lage foi audaz e alargou, nos minutos finais, a linha de ataque, promovendo a estreia de Dyego Sousa, para fortalecer presença na área, abdicando do lesionado André Almeida.

Os encarnados conseguiram, nesses instantes, intensificar a pressão, mas também se expuseram aos contra-golpes de um coeso F. C. Porto, num confronto de forças emocionante, mas sem efeitos práticos para alterar o 3-2 que se arrastou até ao final.

Veja o resumo do jogo:

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG