Hóquei em patins

F. C. Porto vence Óquei de Barcelos e garante final da Taça

F. C. Porto vence Óquei de Barcelos e garante final da Taça

O F. C. Porto garantiu, este sábado, um lugar na final da Taça de Portugal de hóquei patins, ao vencer o Óquei de Barcelos por 5-2, no primeiro jogo das "meias-finais" da "final four", em Ponte de Lima.

Depois desta vitória, o F. C. porto vai disputar a final com o vencedor da outra meia-final, entre Benfica e Sporting, que se disputa a partir das 17 horas deste sábado.

Os "dragões" até começaram a perder, mas, com o desenrolar da partida, foram crescendo, fazendo valer as maiores opções do banco, para bater um adversário, detentor da Taça CERS, mais limitado nesse capítulo.

A partida começou com um ritmo pouco intenso, com as duas equipas muito receosas nas transições, embora com mais algum atrevimento dos minhotos.

Ainda assim, com muitos passes falhados, e com pouco "poder de fogo", a emoção só surgiria a partir do minuto 16, quando Miguel Vieira inaugurou o marcador para o Óquei, na sequência de um contra ataque.

Só em desvantagem, o F. C. Porto conseguiu verdadeiramente despertar para o desafio. Surgindo ainda mais vezes junto à baliza contrária e conseguiu empatar ao minuto 20, por intermédio de Gonçalo Alves.

Os barcelenses tiveram, logo no minuto seguinte, uma soberana oportunidade para recuperar a vantagem, mas, na cobrança de um livre direto, Luís Querido rematou por cima da baliza de Edu Bosch.

PUB

Mais assertividade tiveram os "dragões" a dois minutos do intervalo, quando Hélder Nunes, também de livre direto, foi mais astuto na cobrança, operando a reviravolta no marcador.

A vantagem deu alento dos 'dragões' para o segundo tempo, com a equipa a regressar descanso mais veloz e a conseguir dilatar a vantagem, por Reinaldo Garcia, a desenvencilhar-se melhor de uma confusão junto à baliza dos minhotos.

Nesta etapa complementar, e com mais soluções no banco, o F. C. Porto parecia mais 'fresco', apostando em contra ataques velozes para causar dificuldades ao Barcelos.

Hélder Nunes, aos 32 minutos, de livre direto, poderia ter cimentado a vantagem dos portistas, mas teve boa oposição do guardião Ricardo Silva.

A nove minutos do final, os 'dragões' dispuseram de nova oportunidade para sentenciar a partida e, desta vez, Gonçalo Alves não desperdiçou uma grande penalidade, fixando o 4-1.

O Barcelos ainda reagiu, reduzindo por Luís Querido, mas Rafa, pouco depois, voltou a aumentar a vantagem do F. C. Porto, estabelecendo o 5-2 final.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG