Futebol

Famalicão diz que "foi fácil" preparar duelo com o F. C. Porto, mas que jogo será "difícil"

Famalicão diz que "foi fácil" preparar duelo com o F. C. Porto, mas que jogo será "difícil"

João Pedro Sousa partilhou, esta terça-feira, que o jogo de quarta-feira com o F. C. Porto, da 25.ª jornada da Liga, "foi fácil de preparar, mas será difícil de disputar".

"Preparámos este jogo como todos os outros, como o foco virado para a nossa equipa. Temos referências deste adversário, é uma equipa boa, e, por isso, é muito fácil analisarmos e percebermos onde é forte. Foi um jogo fácil de preparar, mas sabemos que será muito difícil de disputar", disse o técnico dos minhotos, na conferência de imprensa de antevisão ao encontro.

João Pedro Sousa reconhece, ainda assim, "algumas dificuldades" na retoma dos trabalhos, depois de uma paragem de várias semanas devido à pandemia de covid-19, mas garante que o grupo de trabalho que dirige "adaptou-se bem".

"Ao nível físico, será o grande desafio. Estamos preparados, mas sabemos que não temos a mesma forma do que antes da interrupção. A nível tático e estratégico as alterações não serão muitas porque os processos estavam consolidados. Mesmo na paragem, trabalhámos isso, mantivemos o foco no treino", disse.

Questionado se o tempo de paragem das duas equipas irá permitir um maior equilíbrio neste desafio, o treinador do clube famalicenses lembrou que "a qualidade das equipas é a mesma e a forma de jogar não deve variar", desvalorizando as ausências na linha defensivo do F. C. Porto, com o lesão de Marcano e o castigo de Alex Telles.

"São jogadores muito importantes no onze que o treinador costuma apresentar, mas um plantel como o do F. C. Porto tem alternativas muito competentes. As dificuldades vão-se manter quer jogue A ou B", partilhou o treinador.

PUB

Ainda com possibilidade de colocar a equipa num lugar que dê acesso às competições europeias da próxima época, João Pedro Sousa garante que os objetivos da temporada são "os mesmos desde o início do campeonato".

"O primeiro [objetivo] é o da permanência, que está praticamente alcançada, o outro é disputar todos os jogos para vencer. Se isso nos garantir uma qualificação europeia, ótimo, mas hoje não é isso que nos move", garantiu o técnico.

O treinador do Famalicão abordou ainda os casos de infeção por covid-19 no grupo de trabalho, garantindo que tal "não teve qualquer influência na preparação deste jogo", e falou, também, sobre o facto de não haver público nas bancadas.

"Já estive em alguns jogos à porta fechada, nomeadamente numa final na Taça da Grécia, e o que posso dizer é que é contranatura. Não é uma boa experiência. O futebol é feito de multidões e barulhos. Se vão estar adeptos no exterior? Isso não me diz respeito, confio nas pessoas e na organização do jogo", rematou.

Para esta partida, o técnico não pode contar com o guarda-redes Vaná, que está em Famalicão cedido pelos dragões.

O Famalicão, sétimo classificado, com 37 pontos, recebe na quarta-feira o F. C. Porto, líder do campeonato, com 60, numa partida agendada para as 21.15 horas, que terá arbitragem de Nuno Almeida, da AF Algarve.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG