Choque

Família do jogador do São Paulo assassinado recebeu caixa com o pénis

Família do jogador do São Paulo assassinado recebeu caixa com o pénis

Um mês depois do assassinato de Daniel Correa, o Instituto de Medicina Legal brasileiro chocou a tia e a prima do futebolista brasileiro.

A família de Daniel Correa, jogador do São Paulo assassinado por causa de um caso de alegada violação, recebeu uma caixa com o pénis do futebolista brasileiro. "Depois de 20 dias, perguntei o que tinha sido feito com o corpo do Daniel. Queríamos o enterro completo. O Instituto de Medicina Legal mandou a parte cortada dele. Foi o pior dia da minha vida. Receber aquela caixa com o pénis cortado. Pelo que eu soube dos depoimentos, ele foi muito machucado", confessou Regina Correa, a tia de Daniel.

O depoimento da filha de Regina também mostra como o crime foi bárbaro, já confessado por Edison Brittes por suspeitar que a esposa, Cristiana Brittes, tinha sido violada pelo jogador na festa de aniversário da filha do casal. "Ela viu o corpo e disse-me, mãe ele está desfigurado de tanto que apanhou. O pescoço está cortado e é verdade que também lhe cortaram o pénis", adiantou ainda a tia do antigo jogador do São Paulo.

Daniel Correa foi assassinado a 27 de outubro de 2018, em São José dos Pinhais, no Brasil, depois de ter estado na festa de aniversário de uma amiga. Supostamente, o jogador teria entrado no quarto de Cristiana Brittes, a mãe da aniversariante, com quem tirou fotografias na cama. O marido confessou o crime, alegando que o jogador teria tentado violar a esposa. Edison Brittes está em prisão preventiva assim como quatro convidados da festa que terão participado nas agressões.