Hóquei em patins

F.C. Porto estranha timing de castigo ao técnico Guillem Cabestany

F.C. Porto estranha timing de castigo ao técnico Guillem Cabestany

O F. C. Porto manifestou, nesta quinta-feira, "profunda estranheza" pelo timing da aplicação de um castigo de dez dias de suspensão a Guillem Cabestany, técnico da equipa de hóquei em patins. Em causa estão declarações proferidas a 3 de novembro de 2018, após o jogo dos dragões, em Lisboa, frente ao Benfica.

Em comunicado, o clube portista salienta que a decisão "é conhecida mais de três meses após a realização do encontro e pouco antes da realização do jogo da segunda volta contra o Benfica, agendado para 20 de fevereiro", recordando que o processo disciplinar "foi instaurado na sequência de uma participação do Comité Técnico-Desportivo de hóquei em patins e uma participação do próprio Benfica".

O F. C. Porto diz estranhar ainda "a duração do castigo imposto a Guillem Cabestany, que está em Portugal desde maio de 2015 e tem tido um comportamento a todos os níveis exemplar, sem qualquer sanção disciplinar anterior".

"Agora, é punido pela utilização de um par de expressões para catalogar um jogo inqualificável e uma arbitragem, acrescentamos nós, a todos os títulos lamentável, com grande prejuízo da nossa equipa", acrescentam os dragões.

Ainda neste âmbito, o F. C. Porto diz lamentar "o desenrolar deste processo", que alegadamente culmina com o afastamento de Guillem Cabestany e de Eurico Pinto, diretor para o hóquei em patins, numa fase importante da temporada. "Iremos redobrar a atenção em relação às declarações de outros agentes desportivos", promete, ainda, o clube azul e branco.

Outros Artigos Recomendados