Ciclismo

Federação adia decisão sobre regresso da W52-F. C. Porto

Federação adia decisão sobre regresso da W52-F. C. Porto

A Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) aceitou as inscrições de nove equipas continentais UCI para a próxima época. A candidatura da W52-F. C. Porto ainda está a ser analisada.

Em comunicado, a FPC anunciou que a direção solicitou à União Ciclista Internacional (UCI) "novos dados" para tomar uma decisão quanto à W52-F. C. Porto, não adiantando quando se pronunciará novamente sobre o caso.

Após a retirada da licença desportiva por parte da UCI e a suspensão de corredores e elementos do staff esta época pela Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP), no âmbito da operação "Prova Limpa", a W52-F. C. Porto formalizou o pedido junto da FPC para voltar a constituir uma equipa profissional em 2023.

PUB

De acordo com Adriano Quintanilha, patrão da W52 e principal patrocinador da equipa, apenas Amaro Antunes, vencedor de três edições da Volta a Portugal, transita da anterior estrutura.

Na terça-feira, a ADoP divulgou as sanções de sete corredores da W52-F. C. Porto, sendo João Rodrigues o mais penalizado. O corredor algarvio ficará suspenso por sete anos, quatro anos pela UCI por anomalias no passaporte biológico e três anos pela ADoP por "posse de método proibido".

De fora do lote de sancionados ficaram, para já, Joni Brandão, Jorge Magalhães e José Gonçalves. Os corredores continuam suspensos preventivamente e aguardam decisão da ADoP.

As equipas da ABTF Betão-Feirense, Atum General-Tavira-AP Maria Nova Hotel, Efapel Cycling, Glassdrive-Q8-Anicolor, Kelly Simoldes UDO, LA Alumínios-Credibom-Marcos Car, Rádio Popular-Paredes-Boavista, Aviludo-Louletano-Loulé Concelho e Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados regressam em 2023.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG