O Jogo ao Vivo

Desporto

Federação de Voleibol manda repetir Sporting Espinho-Benfica por erro técnico na pontuação

Federação de Voleibol manda repetir Sporting Espinho-Benfica por erro técnico na pontuação

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Voleibol decidiu esta segunda-feira repetir na íntegra o jogo Sporting Espinho-Benfica, reconhecendo um erro técnico na pontuação durante a partida da 20.ª jornada da I Divisão.

O acórdão do CD revela que a partida será realizada no dia 1 de fevereiro, na Nave Desportiva de Espinho (20.30 horas), ou em data a acordar entre os dois clubes, o que terá de acontecer até sexta-feira.

A partida agora "anulada" realizou-se a 5 de janeiro e terminou com a vitória dos espinhenses por 3-2, mas o Benfica protestou o jogo.

A disciplina federativa deu razão aos "encarnados" e confirmou o incidente reclamado, ou seja, uma discrepância entre o resultado e o boletim do jogo durante o terceiro "set", quando o resultado se encontrava em 13-15, favorável ao Benfica, e o Sporting de Espinho venceu o ponto, passando, desse modo, o resultado para 14-15.

"Acontece, porém, que quando na realidade o resultado se encontrava em 13-15, o boletim de jogo, de forma incorreta, espelhava resultado diferente", no caso, 14-15, segundo o CD.

O acórdão prossegue referindo que, "desta feita, e em face de tal registo no boletim de jogo, os acontecimentos que se lhe seguiram (quer o ponto ganho pelo Espinho, quer os dois cartões amarelos exibidos aos elementos de cada uma das equipas), foram corretamente averbados pelo segundo árbitro, embora assentes num pressuposto inicial errado".

"Na verdade, quando o jogador n.º 8 do Sporting de Espinho terminou a sua rotação de serviço, os pontos a registar na sua quadrícula do boletim de jogo deveriam ter sido 13, ao invés de 14, como, por erro, manifestamente aconteceu e em tempo oportuno o clube protestante detetou, pese embora não tenha sido corrigido o mesmo", concluiu o Conselho de Disciplina.

PUB

Para o órgão fiscalizador, é "evidente" o erro técnico de arbitragem, motivo pelo qual julgou procedente o protesto do Benfica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG