Coronavírus

Federação inglesa corta salário de selecionador de futebol em 30%

Federação inglesa corta salário de selecionador de futebol em 30%

A Federação Inglesa de futebol (FA) anunciou, nesta segunda-feira, que cortou em 30% o salário do selecionador inglês, Gareth Southgate, devido à pandemia de Covid-19, que parou o futebol em quase todo o mundo.

Em comunicado, a FA explicou que a direção decidiu cortar os salários em 7,5% a funcionários que recebam 50 mil libras [56 mil euros] ou mais por ano, com o selecionador e também os mais bem pagos do organismo "a darem o exemplo".

"Os salários mais altos assumem uma maior responsabilidade. Por isso, os membros da direção da FA decidiram reduzir o seu salário em 15% e os que recebem ainda mais, o corte será de 30%", revelou.

De acordo com a imprensa britânica, o antigo defesa central concordou com o valor, que corresponde a cerca de um milhão de libras por ano (superior a um milhão e 136 mil euros).

Phil Neville, selecionador da equipa feminina, também terá um corte de 30%, embora tenha um salário anual bem mais baixo que Southgate (cerca de 300 mil libras - 340 mil euros).

A FA lembrou que estes são "tempos extraordinários e complicados" e, por isso, o organismo fará "tudo para apoiar cada pessoa da melhor maneira possível".

À semelhança do que aconteceu nos outros principais campeonatos europeus, o futebol inglês está parado desde o início de março e ainda não tem data agendada para ser retomado, devido ao surto do novo coronavírus.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG