Desporto

Federação não vai à final do "playoff" de basquetebol por diferendo com F.C. Porto

Federação não vai à final do "playoff" de basquetebol por diferendo com F.C. Porto

A Federação Portuguesa de Basquetebol não enviará, esta quarta-feira, qualquer responsável ao Dragão Caixa, onde F.C. Porto e Benfica discutem o título nacional no quinto e último jogo da final do "playoff".

A decisão, confirmada à agência Lusa pelo presidente da FPB, Mário Saldanha, foi tomada depois do F.C. Porto ter informado terça-feira o organismo que não permitia a transmissão televisiva do jogo pela Sport TV, como estava estipulado no protocolo assinado entre clube e federação.

Fonte do F.C. Porto confirmou à Lusa que o jogo decisivo do campeonato, marcado para as 20.30 horas, será transmitido pelo Porto Canal, recusando fazer qualquer outro comentário sobre o assunto.

"O Porto Canal não está autorizado pela federação a transmitir o jogo. Esta situação pode ter, e vai ter, consequências", assegurou Mário Saldanha.

Do lado do Benfica, fonte do clube da Luz disse à Lusa ser "inaceitável a entidade que superintende o basquetebol em Portugal não marcar presença no jogo, em vez de punir o F.C. Porto por esta atitude".

Mário Saldanha reconheceu que eventuais consequências desportivas "só o Conselho de Disciplina apurará", mas que esta decisão do F.C. Porto "configura no incumprimento do que estava estabelecido e as instalações podem não estar em condições, no seu todo, para acolher o jogo".

"Para não se prejudicar a modalidade, autorizámos que o jogo se faça e que seja homologado. Hoje há campeão!", garantiu Mário Saldanha, acrescentando que o troféu será entregue pelo diretor da prova, Pinto Alberto.

O presidente da FPB insistiu que no protocolo assinado pela SAD do F.C. Porto, Porto Canal e federação, o direito de transmissão televisiva do jogo desta quarta-feira era atribuído à SportTV, o que não irá suceder e poderá implicar pedidos de indemnizações.

"Temos um outro protocolo com a Sport TV. Ficamos em incumprimento e a Sport TV poderá mover-nos um processo por termos cumprido e lesado os seus anunciantes. Nós também prejudicamos os nossos patrocinadores", admitiu Mário Saldanha.

Outras Notícias