Liga das Nações

Fernando Santos: "A substituição que ia fazer não era o Diogo Jota"

Fernando Santos: "A substituição que ia fazer não era o Diogo Jota"

No rescaldo da derrota diante da Espanha, que deixou Portugal pelo caminho na Liga das Nações, Fernando Santos garantiu que não queria tirar Diogo Jota do jogo e vincou que a equipa das quinas criou mais oportunidades.

"A equipa esteve bem organizada na primeira parte. Chamei a atenção dos jogadores ao intervalo. Estávamos a sair bem apesar de a Espanha ter mais posse. Mas faltava mais circulação de bola para desmontar a Espanha e alguma agressividade na pressão para recuperarmos mais rápido. Na primeira parte criámos algumas oportunidades enquanto Espanha não criou nenhuma", começou por dizer Fernando Santos, lamentando a substituição forçada de Diogo Jota.

"Entrámos muito bem na segunda parte. Nos primeiros 15 minutos da segunda parte, a equipa esteve mais subida, pressionou mais e mais alto e criámos duas ou três situações de golo. A partir daí deixámos de ter bola, a equipa baixou linhas, deixou de pressionar e teve dificuldades. O Jota pediu para sair. Agora não interessa nada, mas essa não era a substituição que ia fazer. Ia colocar o Jota numa posição diferente para que a equipa pudesse subir e ter mais posse. Meti o Vitinha e o João Mário para termos mais posse de bola e para jogarmos. Não conseguimos e começámos a recuar. Ainda assim, tivemos duas grandes oportunidades, mas não marcámos", acrescentou o selecionador, destacando as oportunidades criadas por Portugal.

"A equipa estava a reagir muito bem nos primeiros 15 minutos da segunda parte. Depois alguns jogadores acusaram algum cansaço e tiveram menos influência do que é normal. Era preciso refrescar a equipa e tentámos fazer isso. O João Mário entrou para dar equilíbrio, ter bola e circular de outra forma. A entrada do Leão e do Vitinha também foi para isso. Quando ia fazer mais duas substituições, uma para dar força ao meio-campo e outra para termos mais velocidade, sofremos golo. Temos de manter o mesmo padrão de jogo independentemente do adversário. Conseguimos fazer isso durante algum tempo. Circulámos, pressionámos e criámos oportunidades. Na segunda parte estivemos ainda mais subidos no campo. Depois perdemos capacidade de ter bola. Ganhávamos a bola e não conseguimos ligar o jogo. Espanha começou a empurrar, a empurrar e sem ter uma verdadeira oportunidade, marcou", concluiu.

PUB

A seleção nacional perdeu (0-1), esta terça-feira, em Braga, diante da Espanha, em jogo da sexta e última jornada do Grupo A2, e está fora da fase final da Liga das Nações. A "La Roja" marcou o único golo do jogo ao minuto 88. Depois de um cruzamento na direita, Nico Williams ganhou a Cancelo ao segundo poste e amorteceu de cabeça para Morata, que finalizou sem marcação e sem hipótese de defesa para Diogo Costa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG