Seleção

Fernando Santos e a chamada de Paciência: "Um 9 fixo? Isso já não existe"

Fernando Santos e a chamada de Paciência: "Um 9 fixo? Isso já não existe"

Gonçalo Paciência volta à seleção, a par de André Silva, colega no Eintracht Frankfurt, e de Éder. Ocasião para relançar o eterno debate nacional do "ponta da mama", como lhe chama o selecionador nacional.

Fernando Gomes, Jardel, Rui Águas, Pauleta, Domingos... A propósito da chamada de Gonçalo Paciência e de André Silva para os próximos jogos de Portugal, o selecionador nacional lembrou-se dos últimos grandes exemplares do que diz ter sido o puro 9 de um futebol devoluto.

"Estamos a falar de um futebol que já não existe. Aquilo que considerava e considero tem a ver com um jogador fixo, que se situa só nessa área. Na minha altura chamava-se a esses jogadores os 'pontas de mama' e jogadores como esse, hoje em dia, o futebol não utiliza. Não quer dizer que não haja avançados com características mais próximas disso. Eu que me lembre, em Portugal, lembro-me do Rui Águas, Fernando Gomes e depois tinha de recuar um bocado para encontrar jogadores com essas características. O Pauleta era um jogador que jogava no tal 9, mas não tinha essas características. O Domingos não era igual ao Jardel, esse sim [Jardel] era um ponta de lança de mama, claro. Falei do Domingos, mas também o Nuno Gomes, que não têm essas características. Portugal tem jogado sempre com avançados, o Cristiano Ronaldo também pode ser um avançado nesse sentido, mas não se situam só nesse espaço do campo. Qualquer um destes jogadores que aqui está, há uns que reúnem condições mais próximas dessas características. O Gonçalo, o André e o Éder têm mais essas características, mas eles nunca jogam sozinhos. Aqui não há a questão do 9", afirma Fernando Santos.

E ainda sobre Gonçalo Paciência e André Silva, o selecionador rematou: "Estes jogadores estão em condições, já vinham a servir antes. O Paciência, a única vez que veio jogava no Setúbal e quem o convocou foi o Fernando Santos, por acaso. Não é novidade nenhuma a qualidade do Paciência. Ele estava em grande forma no [Vitória de] Setúbal, mas depois no F. C. Porto as coisas acabaram por não correr bem e agora está a jogar com regularidade e bem. O André também apareceu e está a jogar bem. Também vamos jogar na quinta-feira e no domingo e não vamos ter 72 horas sequer de recuperação. Os tempos de recuperação são curtos e há que ter atenção a estes dados e definir a equipa da melhor forma".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG