Liga das Nações

Fernando Santos espera que à terceira seja de vez

Fernando Santos espera que à terceira seja de vez

Portugal volta a entrar num jogo crucial com dois resultados possíveis para passar, neste caso à final four da Liga das Nações, e o selecionador não quer ver repetido o que aconteceu recentemente diante de França e Sérvia

Na edição anterior da Liga das Nações e no grupo de qualificação para o Mundial 2022, a seleção das quinas também só precisava de empatar em casa para se apurar, mas as coisas não correram conforme o plano diante de franceses e sérvios. Fernando Santos sorriu quando questionado sobre o que Portugal terá de fazer no jogo de terça-feira com a Espanha para evitar a repetição do cenário.

"Vou ter de usar um ditado português. Que à terceira seja de vez. Há três dias diziam que tínhamos de ganhar os dois jogos... Isto não muda nada. Se estivermos focados no que temos de fazer, estaremos muito mais perto de ganhar. Com humildade, temos de ser agressivos e, como sempre, jogar para ganhar. Não vamos atrás de um resultado ou de outro, o jogo depois dirá. Não vou dizer aos jogadores na palestra que vamos jogar assim porque temos dois resultados que nos interessam. Vamos jogar para ganhar", disse o selecionador português.

PUB

"Se sentimos pressão? Acham que pode haver mais pressão do que a que estes jogadores sentem sempre? Eles têm vivido bem com ela porque felizmente temos conseguido bons resultados", acrescentou.

A derrota da Espanha com a Suíça subiu o tom das críticas na imprensa do país vizinho para com o técnico Luis Enrique e Santos voltou a sorrir. "A mim também me criticam... Isso é normal. Quando perde um jogo, o Luís já não é um bom treinador. A Espanha é uma grande equipa, tem jogadores de enorme qualidade. Joga sempre para ganhar e não vai jogar de forma diferente porque tem de vencer amanhã. Querem mostrar a capacidade que têm. Se é isso que entendem por ser uma equipa ferida, depois de perder com a Suíça, então espero que continuem feridos", referiu.

Sem dar pistas sobre o onze, o técnico das quinas sublinhou que "o mote da confiança nos jogadores tem a ver com a convocatória e não com quem joga". "Não podem jogar todos, isso não é possível. É como nos clubes, há uns que jogam mais e outros que jogam menos", afirmou, revelando que Joáo Félix está recuperado da lesão, o que lhe permite ter 25 jogadores à disposição.

Em relação a Cristiano Ronaldo, Fernando Santos admitiu que o "habitat" da seleção o deixa "confortável", sem deixar de dizer que esse bom ambiente é comum a todos os jogadores: "Somos uma família. É relevante ver que os jogadores entram, saem e depois voltam, como aconteceu agora com o Mário Rui, e sentem-se sempre confortáveis".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG