Seleção nacional

Fernando Santos: "Há vários jogadores que nem estavam no meu pensamento"

Fernando Santos: "Há vários jogadores que nem estavam no meu pensamento"

Selecionador nacional abordou a chamada de Tiago Djaló e não quis fazer previsões sobre a chamada futura para o Campeonato do Mundo.

O selecionador nacional Fernando Santos revelou esta quinta-feira os convocados para o duplo duelo da Liga das Nações, frente a República Checa e Espanha, nos dias 24 e 27 de setembro, mas evita atribuir maior importância ao jogo com "nuestros hermanos"

"Em primeiro lugar vai resolver-se tudo com a República Checa. O que sabemos é que queremos estar na fase final, já a vencemos e queremos estar lá outra vez. Temos dois jogos importantes e foi nesse sentido que elaborámos esta convocatória, pensando também em algumas coisas como no castigo do Cancelo, que não poderá estar no 1.º jogo. Temos oito jogadores com amarelos. Estes são dois jogos muito importantes e isso norteou a nossa ambição de chegar à fase final do torneio", explicou Fernando Santos, antes de abordar a convocatória específica de Tiago Djaló.

PUB

"Djaló já esteve aqui connosco, esteve convocado não na última, mas na penúltima, conhecemos bem e é titularíssimo no Lille. O Tiago tem um papel importante para este jogo, tendo esta questão da suspensão do Cancelo, punha-se também este problema, que no primeiro jogo não contaria com ele e ficaria só com um lateral direito. Os laterais da direita jogam bem na esquerda mas o contrário não. O Tiago joga nos dois. Em primeiro lugar, aparece a qualidade técnica do jogador. Tendo grande qualidade, tem essa possibilidade de fazer várias posições o que nesta convocatória é muito importante", frisou.

Para Fernando Santos, todas as convocatórias são complicadas e esta em específica fica marcada pelo aparecimento de vários jogadores. "Comecei a preparar a lista dos 55 e mesmo assim tenho dificuldade. Felizmente para nós, para mim, são dores de cabeça mas boas. Na realidade é difícil, no último mês há vários jogadores que apareceram e que há dois meses nem estavam no meu pensamento. Ainda bem para Portugal que há muitos jogadores a aparecer a muito bom nível e que podiam estar perfeitamente aqui. Neste momento esses estão a bater à porta e ainda bem", disse.

A pouco menos de dois meses de revelar os nomes para o Mundial do Qatar, Fernando Santos escusou-se a analisar essa convocatória. "O campeonato do mundo vem depois. Há vários jogadores que há dois meses nem olhávamos para eles, porque não jogavam ou não estavam na equipa principal. O António Silva, o Florentino, o Pote, Trincão, Vitinha do Braga... Há muitos que estão a dizer-me que estão aqui. Nós estamos atentos a todos. Mas quem vai depois ao Mundial sou eu que vou escolher, mas em muita parte são os jogadores que me vão dizer. O mês de outubro vai ser decisivo para isso. A questão que se coloca é a escolha, vamos tentar ser justos. Este campeonato do mundo tem uma variante em relação ao Europeu, em que também foram 26 jogadores mas só podiam estar 23 no banco. Desta vez podem estar todos" atirou.

Otávio e Renato Sanches são dois dos habituais convocados que ficaram de fora por problemas físicos. "As informações que tenho é do meu departamento clínico, que diz que há dois jogadores indisponíveis: o Otávio e o Renato Sanches", disse apenas o selecionador nacional.

Sobre o pouco tempo de jogo de Cristiano Ronaldo esta temporada no Manchester United, preferiu focar-se na importância do capitão. "Preocupação tenho com eles e com todos, perceber se vão jogar, se não, o que é que está a acontecer quando não jogam... Penso que ninguém duvida que o Cristiano Ronaldo continua a ser importante para a seleção", esclareceu, para depois abordar o recente ataque ao automóvel da família de Sérgio Conceição.

"É uma má imagem para tudo, não só para o futebol português. Isto está a ficar um mundo de malucos, são coisas que não podem acontecer. Tenho uma relação de amizade com ele e já tive oportunidade de estar com ele pessoalmente. Acho que é completamente reprovável e quem o fez deve ser castigado", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG