Seleção

Fernando Santos reclama devolução de impostos

Fernando Santos reclama devolução de impostos

Fernando Santos, selecionador de futebol, pretende a devolução de 4,5 milhões de euros que pagou recentemente ao fisco, valores relativos a 2016 e 2017.

Ouvido nesta segunda-feira de manhã no centro de arbitragem administrativo de Lisboa, no âmbito da divergência com a Autoridade Tributária, o treinador esclareceu que a FPF (Federação Portuguesa de Futebol) paga salários e prémios através da sua empresa, a Femacosa, por pedido em 2014 de Fernando Gomes, presidente da FPF.

O Fisco garante que Santos tinha uma dívida de 4,5 milhões por ter recebido cerca de 10 milhões de euros em 2016 e 2017, montante alegadamente não declarado. Segundo a Autoridade Tributária, somente apresentou um salário anual de 70 mil euros, ao qual pagou IRS somente sobre esse número. Ao tribunal, o selecionador afirmou que nunca teve a intenção de pagar menos impostos.

PUB

Ouvido também nesta segunda-feira, Fernando Gomes explicou que propôs a Fernando Santos, em 2014, no início da sua ligação à FPF, que a relação contratual fosse realizada através de uma empresa. Em causa, a dificuldade de rescindir contrato com adjuntos de Paulo Bento e de Carlos Queiroz quando foram despedidos dos cargos de selecionadores. No caso de Fernando Santos, os adjuntos também são pagos através da ​​​​​​​Femacosa, o que diminui as hipóteses de conflitos em caso de cessação de vínculos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG