Mundial 2022

Fernando Santos: "Temos de igualar a Turquia na paixão"

Fernando Santos: "Temos de igualar a Turquia na paixão"

Selecionador nacional dá a receita para aquela que espera ser a primeira de duas finais rumo ao Catar.

Portugal inicia na quinta-feira o play-off de acesso ao Campeonato do Mundo, sabendo que tem de ganhar à Turquia para depois poder discutir com a Itália ou com a Macedónia do Norte o passaporte para o Catar. Fernando Santos assumiu a responsabilidade pelo facto de a equipa lusa ter falhado o apuramento direto, mas diz que não vale a pena repisar a derrota com a Sérvia, nem falar em cenários de uma eventual saída do cargo caso a qualificação não seja alcançada.

"Estamos aqui por culpa nossa e não jogámos bem contra a Sérvia, mas isso faz parte do passado. Queremos estar no Mundial e temos de ganhar à Turquia. O resto passa-nos ao lado", afirmou o técnico português, na antevisão da partida com os turcos, sublinhando que a equipas das quinas tem respondido sempre bem aos momentos de maior pressão.

"Isso foi sempre um sinal positivo para Portugal. Nas duas finais que disputámos, no Euro 2016 e na Liga das Nações, fomos irrepreensíveis, e é o que queremos voltar a fazer, para dar uma alegria a 11 milhões de portugueses. Os nossos jogadores não se deixam influenciar pela pressão", referiu.

Sobre as ausências para este jogo, forçadas por lesões ou castigos, Santos disse que "não vale a pena" falar de quem não está, acrescentando, no entanto, que jogadores como Rúben Dias ou Rúben Neves mandaram mensagens ao grupo e estão ao lado da equipa nesta missão de chegar ao Mundial. Apesar de ter "poucas dúvidas" sobre o onze inicial, o selecionador não deixou qualquer pista: "Vou procurar escolher a equipa que nos dê melhores garantias".

Em relação ao adversário, Fernando Santos definiu a Turquia como uma equipa com "grande qualidade individual" e "muito agressiva, no bom sentido". "Jogam com o coração e temos de os igualar, ou se possível, superar, na paixão, na raça e na concentração, porque vamos ter pela frente uma equipa que tem isso tudo. Lutámos muito pelos 11 milhões de portugueses nas outras finais que tivemos e é o que vamos fazer na final de amanhã, sabendo que, se ganharmos, teremos outra", sublinhou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG