Futebol

FIFA proibe Zenit de convocar jogadores brasileiros que não jogaram pela seleção

FIFA proibe Zenit de convocar jogadores brasileiros que não jogaram pela seleção

A FIFA proibiu o Zenit de convocar os brasileiros Malcom e Claudinho até o dia 14 de setembro em retaliação pela decisão de impedir os dois futebolistas de jogarem pela seleção canarinha, noticiou esta quarta-feira o clube de São Petersburgo.

"Na verdade, recebemos uma carta da FIFA e estamos profundamente preocupados com a situação criada", afirmou um porta-voz do clube russo aos órgãos de comunicação locais.

O Zenit impediu que aqueles dois internacionais brasileiros representassem o Brasil nos recentes jogos da zona sul-americana de qualificação para o Mundial2022, à semelhança do que fizeram vários clubes ingleses que competem na Premier League.

O clube russo pediu à FIFA e à UEFA que abrisse uma exceção para seus jogadores ou que transferisse o jogo frente ao Chelsea, da Liga dos Campeões, para um país neutro, mas não obteve, para já, qualquer resposta.

Malcom e Claudinho, que disputaram os Jogos Olímpicos pela 'canarinha', foram convocados pelo seu país, mas no dia 01 de setembro voaram para São Petersburgo para se submeterem às diretrizes do clube russo, sem que tivessem jogado um minuto sequer pelo Brasil.

Se tivessem jogado pela sua seleção, os jogadores não teriam chegado a tempo de jogar pelo Zenit, devido à quarentena obrigatória de 10 dias.

O treinador do Zenit, Sergei Semak, queria ter os dois jogadores disponíveis para a Liga dos Campeões na próxima semana, mas a Confederação Brasileira de Futebol protestou junto da FIFA e exigiu uma sanção contra o clube.

PUB

Como a FIFA aplicou uma suspensão de cinco dias, o Zenit não poderá contar com os dois jogadores brasileiros frente ao Akhmat Grozny, para o campeonato russo, no sábado, ou perante o Chelsea, na terça-feira, para a Liga dos Campeões.

O Zenit também não poderá contar com o colombiano Wilmar Barrios, cuja seleção defronta o Chile, na quinta-feira, nas eliminatórias para o Mundial.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG