Ciclismo

Filho de Cândido Barbosa "regressa" a Portugal para fechar plantel do Tavira

Filho de Cândido Barbosa "regressa" a Portugal para fechar plantel do Tavira

Diogo Barbosa deixa a equipa norte-americana Hagens Berman/Axeon e "regressa" a Portugal. O filho de Cândido Barbosa é a última aquisição do Clube de Ciclismo de Tavira (AP Hotels and Resorts/Tavira) para a temporada de 2023.

O jovem de 22 anos, que se estreia na categoria de Elite, regressa a Portugal depois de duas temporadas na equipa americana dirigida por Axel Merckx, filho do legendário Edyy Merckx, ingressando na equipa tavirense onde o pai terminou a carreira profissional, em 2010.

Depois de uma temporada muita azarada, marcada pela covid-19 e uma infeção pulmonar, a que se juntaram duas lesões nos joelhos e principalmente o facto da equipa da Hagens Berman/Axeon passar só a contar com corredores sub-23, o jovem de Rebordosa, concelho de Paredes, optou por uma equipa e uma terra que conhece muito bem, já que é em Tavira que habitualmente passa alguns dias de férias.

PUB

Para 2023, o filho do "Foguete da Rebordosa", tem como objetivo fazer uma temporada regular, lutando por vitórias e concretizando os objetivos propostos pela equipa. Diogo Barbosa começou a carreia em 2018 como júnior da equipa da Vito/Feirense/BlackJack tendo ganho o Circuito da Palmeira-Troféu Peixoto Alves, em Braga.

Em 2019 na primeira temporada como sub-23, correu pela Caja Rural, de Espanha, e nos dois últimos anos sob o comando de Axel Merckx, na Hagens Berman/Axeon, equipa por onde passaram, por ordem de datas, Rúben Guerreiro, os irmãos Ivo e Rui Oliveira, João Almeida, André Carvalho e Pedro Andrade.

Em 2021 pela equipa americana, o jovem da Rebordosa, correu a Volta ao Algarve tendo concluído na 58ª posição da Geral Individual e foi 5º na Classificação da Juventude. Nessa corrida deu-se feliz a coincidência de Diogo Barbosa e o seu companheiro de equipa Pedro Andrade, se terem juntando na corrida com os pais. Cândido Barbosa fazia a montagem das estruturas das partidas da corrida e Joaquim Andrade era diretor-desportivo da Antarte/Feirense.

Recorde-se que nas 16 temporadas, entre 1995 e 2010, como profissional Cândido Barbosa conseguiu 125 vitórias, entre triunfos em etapas, clássicas ou corridas com mais do que um dia, tendo em 2007, ano em que foi Campeão Nacional, lhe fugiu a vitória na Volta a Portugal em favor do russo Vladimir Efimkin ."Sem sentir, roubaram-me a carteira, com o dinheiro dentro", disse, numa metáfora ao facto de ter perdido a "Portuguesa" para um corredor até aí quase desconhecido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG