Futebol

Fogo de Marega deixa dragão no sétimo céu

Fogo de Marega deixa dragão no sétimo céu

Equipa de Sérgio Conceição aproveita deslize do Sporting, iguala melhor registo da época e já só está a quatro pontos do topo. Luta pelo título mais quente.

O F. C. Porto bateu (1-0) o V. Guimarães, somou o sétimo triunfo consecutivo no campeonato - igualando o melhor registo da equipa nesta época - e não desperdiçou a oportunidade de reduzir, ainda mais, a desvantagem para o topo da classificação. Em apenas quatro jornadas, os dragões recuperaram seis pontos ao Sporting e a luta pelo título promete aquecer, e muito, as últimas seis rondas.

Num duelo bem complicado, tal como Sérgio Conceição previra, valeu a força de Marega a garantir os três pontos e a quebrar a resistência de um Vitória que entrou no Dragão com uma linha de três centrais. No entanto, o sistema híbrido - 5x2x3 a defender e 3x4x3 a atacar - não impediu os minhotos de tentarem jogar a toda a largura do terreno no início do encontro e de criarem dois grandes calafrios nos primeiros dez minutos, mas Edwards rematou na atmosfera e, depois, o cruzamento do extremo inglês passou, com muito perigo, pela frente da baliza de Marchesín.

A equipa de Sérgio Conceição insistia em atacar pela zona central e batia de frente com a boa organização defensiva do Vitória e foi preciso Pepe subir no terreno para desmontar a teia adversária. O central lançou Taremi, mas Bruno Varela mostrou reflexos para desviar o remate em habilidade do iraniano. Aos poucos, os dragões intensificavam o domínio territorial, mas o que sobrava em posse de bola faltava em inspiração e só depois do intervalo é que a história mudou.

Até então quase perfeito a defender, o Vitória pagou muito caro a hesitação de Mumin aos 49 minutos. O ganês não aliviou quando pôde, perdeu o duelo físico com Marega e o maliano fuzilou as redes de Bruno Varela. Oito jogos depois, o avançado fez as pazes com as balizas e o F. C. Porto não adormeceu sobre a vantagem alcançada, apertando o cerco em busca da tranquilidade. O segundo golo acabou por não surgir - Francisco Conceição acertou na barra, depois de uma jogada brilhante -, o Vitória ainda tentou escrever outro argumento nos minutos finais, mas a luta pelo título está mais viva do que nunca.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG