Desporto

"Foguete das Caxinas" é vice-campeão mundial júnior no bodyboard

"Foguete das Caxinas" é vice-campeão mundial júnior no bodyboard

Joel Rodrigues, de 17 anos, sagrou-se vice-campeão do Mundo em juniores de "bodyboard", mas só ficará satisfeito quando conquistar o ouro. Viciado no treino, começou a aventura marítima quando tinha 11 anos e desde então não para de acumular títulos nacionais.

Normalmente apenas os campeões ficam na memória, mas Joel Rodrigues é especial. Tornou-se vice-campeão mundial júnior de bodyboard, no campeonato disputado nas Ilhas Canárias, mas o resultado deixou um sentimento agridoce, porque só a vitória interessa ao atleta apelidado de "Foguete das Caxinas" pela velocidade demonstrada no mar. "Fiquei contente com o desfecho mas, ao mesmo tempo, não consegui cumprir o meu objetivo. Fui para ser campeão e agora já estou a trabalhar para o ser no próximo ano", revela, determinado, o jovem atleta do Clube Naval Povoense.

A aventura vivida por Joel Rodrigues nas Ilhas Canárias (Gran Canária) não foi fácil. O primeiro fator de dificuldade foi a "ondulação muito forte", característica daquela região do globo, que, segundo o próprio, exige "grandes reflexos e é muito perigosa". Além deste detalhe, que exige alguma adaptação, o bodyboarder sofreu uma lesão durante a prova, que lhe condicionou a preparação. "Enquanto treinava, houve uma onda mais forte que me empurrou contra umas rochas. A minha perna ficou em muito mau estado e por isso tive de descansar durante três dias, em que deveria estar a treinar. Felizmente, foi num período que não em que não havia provas e, por isso, até calhou bem", conta Joel Rodrigues.

A paixão pelo bodyboard nasceu quando ainda era uma criança, aos 11 anos, mas desde aí nunca mais abrandou e obriga o bodyboarder a tentar conciliar as vidas de estudante - frequenta o 12.º ano de Ciências e Tecnologias - e de atleta de alta competição. Treina todos os dias, sendo que quando o horário permite o faz em regime bidiário. "O meu tio tem uma escola de surf e um verão decidi experimentar. Até comecei no surf, mas depois passei para o bodyboard e foi aí que me apaixonei", revela.

De experimentar até começar a competir foi um piscar de olhos. Aos 12 anos, o "Foguete das Caxinas" já competia no escalão sénior, de modo a ganhar experiência. Desde então teve um progresso fantástico, acumulando títulos, bem como bagagem cultural, fruto dos países até onde viajou em provas (Marrocos, França e Espanha). Com 17 anos, já se sagrou sete vezes campeão nacional (nos escalões de sub-12, sub-14, sub-16, sub-18 e juniores), foi vice-campeão europeu (sub-17) e conseguiu um terceiro lugar em representação da seleção portuguesa (sub-16).

A família é o principal suporte em todas as provas, sendo que o pai (também ele chamado Joel Rodrigues) está sempre presente e até lhe dá umas dicas de vez em quando. No entanto, confessa que uma das principais valências do é também aquilo que lhe causa mais receio. "O meu filho sempre foi muito destemido. Quando era mais novo isso deixava-me bastante preocupado quando ia para o mar, mas, com o passar do tempo, fui-me apercebendo que ele sabe o que faz e consigo abstrair-me disso", confessa. O pai ficou bastante feliz por Joel se ter sagrado vice-campeão mundial, mas acredita que o filho está destinado a voos ainda mais altos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG