Desporto

Funeral de Mário Coluna realiza-se sexta-feira

Funeral de Mário Coluna realiza-se sexta-feira

O funeral do antigo futebolista Mário Coluna realiza-se na sexta-feira no Cemitério da Lhanguene, em Maputo, com a presença do presidente da República de Moçambique, Armando Guebuza, após um velório Conselho Municipal.

Segundo o programa das exéquias fúnebres, lido à imprensa pelo vice-ministro da Juventude e Desportos de Moçambique, Carlos de Sousa, o velório de Mário Coluna vai começar às 10.00 horas locais (08.00 horas de Portugal continental), terminando às 12.00 horas, seguindo depois o cortejo fúnebre para o Cemitério da Lhanguene.

Naquele local, situado à entrada da capital moçambicana, o funeral vai iniciar-se às 13.00 horas, com a leitura de mensagens fúnebres por partes de representantes dos clubes que Mário Coluna representou durante a sua carreira de jogador, treinador e selecionador.

PUB

Nas cerimónias fúnebres de Mário Coluna, que morreu na terça-feira, em Maputo, vítima de infeção pulmonar grave, vão estar o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e o vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol Humberto Coelho.

Além de Luís Filipe Vieira, vão estar também no funeral do antigo "capitão" do clube os campeões europeus António Simões, Fernando Cruz, José Augusto e Mário João.

O antigo internacional português tinha 78 anos e estava internado desde domingo no Instituto do Coração, na capital moçambicana.

Nascido em Inhaca, Moçambique, a 6 de agosto de 1935, Coluna conquistou a Taça dos Campeões Europeus em 1961 e 1962 - com um golo em cada final -, foi campeão nacional 10 vezes e conquistou a Taça de Portugal em sete ocasiões ao serviço do Benfica, clube que representou entre 1954 e 1970, fazendo 525 jogos oficiais.

Com a camisola da seleção portuguesa, efetuou 57 jogos e marcou oito golos, envergando a braçadeira de capitão quando Portugal foi terceiro classificado no Mundial de 1966, em Inglaterra, que ainda hoje continua a ser a melhor classificação lusa em campeonatos do Mundo.

Em Moçambique, no início da carreira, alinhou pelo Desportivo de Lourenço Marques, tendo encerrado o percurso como jogador no Estrela de Portalegre (1971/72), depois de uma época no Olympique de Lyon, em França.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG