Lima

Gabigol e Enzo, Diego Alves e Armani: as estrelas da final da Libertadores

Gabigol e Enzo, Diego Alves e Armani: as estrelas da final da Libertadores

Flamengo e River Plate vão disputar a final da Taça dos Libertadores no próximo sábado, em Lima, no Peru. O "mengão" regressa à final da prova 38 anos depois e os argentinos procuram defender o título conquistado na última edição. Conheça as duas equipas, jogador a jogador.

É já este sábado que se disputa a final da Taça dos Libertadores. Flamengo e River Plate medem forças para conquistar o troféu mais importante da CONMEBOL (Confederação Sul-Americana de Futebol). O encontro está marcado para as 20 horas portuguesas e 17 horas locais.

O Clube de Regatas do Flamengo é orientado pelo técnico português Jorge Jesus, que tem sido o homem sensação no Brasil. Está perto de ser campeão, precisa apenas de vencer o próximo jogo do campeonato, ou até pode mesmo levantar a taça no domingo, sem jogar, se o Palmeiras não vencer o Grêmio. A equipa de Jesus pode assim vencer a Taça dos Libertadores e o Brasileirão num espaço de 24 horas.

O treinador é acarinhado por toda a comunidade rubro-negra, que admite estar a viver um sonho. De um momento para o outro, chega um técnico português, criticado por muitos, e está perto de ser campeão do Brasil por um clube que não o é desde o ano de 2009. Além disso, pode bater o recorde de pontos, golos marcados, vitórias, jogos sem perder e melhor marcador e assistente na equipa. A sobrarem quatro jogos, todas estas proezas são alcançáveis. Se estes dados não fossem, por si só, impressionantes, há ainda o facto de o Flamengo ter chegado a uma final da Libertadores, algo que não acontecia há quase quatro décadas.

Do outro lado, no sábado, vai estar Marcelo Gallardo, técnico do River Plate. Orienta os argentinos há cinco anos e procura revalidar a proeza conquistada na edição passada, naquela que foi a final da Libertadores mais vista de sempre. Os "Millonários" defrontaram o eterno rival Boca Juniors e levaram a melhor no prolongamento da 2.ª mão, no Santiago Bernabéu, em Madrid, naquele que pode ter sido o jogo mais importante da história do clube. Este ano, eliminaram novamente o Boca nas meias-finais e procuram agora igualar o feito dos "Azul y Oro": vencer a prova por dois anos consecutivos. "La Banda", para além de ter vencido o ano passado, também conquistou o troféu em 2015, contra os mexicanos do Tigres.

Para chegar à final da competição, o Flamengo eliminou o Emelec, o Internacional e o Grêmio. Já o River Plate afastou o Cruzeiro, o Cerro Porteño e o Boca Juniors.

A expectativa dos adeptos para esta final é bem alta. O Flamengo é a melhor equipa do Brasil atualmente e sabe que tem qualidade, além da moral, para levar a melhor na partida. Já o River Plate tem a vantagem da experiência na competição, tendo em conta que já a venceu por quatro vezes.

Flamengo

Diego Alves - O guardião brasileiro tem muitos anos de futebol, grande parte deles na Europa. Esteve seis anos ao serviço do Valência, de Espanha, e transferiu-se há dois para os rubro-negros. Esta temporada é quase totalista, com 3593 minutos, 40 jogos realizados, 17 dos quais sem sofrer golos. Com 34 anos, ainda não perdeu os reflexos e continua a parar os ataques sul-americanos. Um guarda-redes de qualidade é sinal de sucesso. Repare nos últimos a vencer a Liga dos Campeões: Alisson, Navas, Ter Stegen, Neuer, Casillas, Cech e Valdés.

Rafinha - Quando se fala de experiência, fala-se de Rafinha. É um lateral com uma cultura tática acima da média adquirida durante anos no Bayern de Munique, alguns deles orientado por Pep Guardiola. Rafinha tem uma qualidade de passe soberba, seja curto ou longo. Joga com critério e sente-se à vontade com pouco espaço. Geralmente, toma decisões acertadas. Conta com seis assistências nesta temporada.

Pablo Marí -​​​​​​ Foi contratado em julho deste ano ao Manchester City, apesar de nunca ter jogado pelos "citizens". Passou a título de empréstimo pelo Girona, Deportivo da Corunha e NAC Breda. Foi opção de Jorge Jesus em praticamente todos os jogos desde que chegou. Realizou 28 partidas e marcou três golos em todas as competições. Um dos golos foi na meia-final da Taça dos Libertadores, na vitória por 5-0 contra o Grêmio. Com o seu 1,93 metros, é um central forte fisicamente e imponente nos duelos. É o responsável pela ligação com os setores mais avançados no momento ofensivo, devido à sua facilidade de decisão e conforto com a bola nos pés.

Rodrigo Caio - Compõe a dupla de centrais com Marí e também chegou ao Flamengo este ano. Realizou 37 jogos e foi autor de três golos, sendo que um deles, tal como o seu parceiro da defesa, foi contra o Grêmio na goleada da meia-final. É um central agressivo nos duelos e antecipa-se rapidamente aos lances. Tem boa condução de bola, é útil no ataque posicional e mostra segurança e tranquilidade dentro de campo. Tem quatro jogos pela seleção brasileira.

Filipe Luís - Tal como o lateral Rafinha, assume uma função importantíssima dentro de campo. Foram duas contratações fantásticas por parte de Jorge Jesus, devido à experiência oferecida. Filipe Luís teve anos com Diego Simeone a acompanhá-lo e tradicionalmente as equipas do argentino apresentam grande rigor tático e intensidade defensiva. O lateral-esquerdo, que rumou ao Flamengo com 34 anos, é uma mais-valia para a realidade do campeonato brasileiro e assume-se como um dos melhores jogadores desta época. É inteligente, oferece qualidade à equipa com a bola nos pés, descobre linhas de passe, cria situações de perigo, tem capacidade de cruzamento e é competente defensivamente.

Gerson - Jorge Jesus contratou o médio à AS Roma por uma quantia a rondar os 12 milhões de euros. Com 22 anos, é uma das referências da equipa sem ser exuberante. Realizou 29 jogos, marcou dois golos e fez outras tantas assistências. Gerson é um jogador evoluído para a realidade do futebol brasileiro, por já ter uns bons anos de Liga italiana. Salvo raras exceções, os melhores jogadores deste campeonato foram reforços provenientes da Europa. Gerson é incansável e crucial no comando da equipa, na gestão da velocidade de jogo. Tem qualidade de passe e boa finta de corpo, que o auxilia a encontrar espaço para avançar no terreno e desequilibrar.

Willian Arão - Possivelmente a surpresa da temporada. Arão chegou ao Flamengo em 2016 e nunca convenceu totalmente os adeptos. Jorge Jesus fez dele um "senhor jogador", sendo um intocável para o técnico português. Realizou 42 jogos na temporada, marcou dois golos e fez sete assistências. Com boa leitura de jogo, antecipa-se nas marcações e é exímio no posicionamento. Cumpre sem dar nas vistas e demonstra bom nível tático, que foi trabalhado com Jorge Jesus. O português explorou o talento de Arão no aproveitamento de características pouco visíveis anteriormente e tornou-o num médio de qualidade.

Éverton Ribeiro - Chegou ao Flamengo em 2017, tem 30 anos e é um dos jogadores mais utilizados por Jorge Jesus, tendo já ultrapassado os 3000 minutos na temporada. É natural que tenha jogado mais tempo, por causa da lesão de Diego (ex-F. C. Porto) durante grande parte da época. Éverton apontou cinco golos e fez nove passes para golo. Tem um bom remate a meia distância, qualidade no cruzamento, no drible, entende-se bem com os colegas da frente de ataque e cria várias oportunidades de golo. Geralmente atua como médio mais ofensivo, com tendência a aparecer na área.

Giorgian De Arrascaeta - Chegou ao Flamengo no início do ano civil e assumiu-se como umas das figuras principais da equipa de Jorge Jesus. Ele, juntamente com os dois parceiros do ataque, Bruno Henrique e Gabriel Barbosa, estiveram presentes em grande parte dos golos do conjunto rubro-negro. De Arrascaeta, com 25 anos, soma 29 jogos (falhou vários devido a lesão), onde apontou o mesmo número de golos e assistências (12). Além disso, lidera a Série A em assistências, com 10, juntamente com Dudu, do Palmeiras. Destaca-se pela técnica, drible, remate forte e principalmente pela visão de jogo. Joga de cabeça levantada e à procura da melhor solução possível.

Bruno Henrique - Foi mais um dos reforços do Flamengo no início do ano, antes da chegada de Jorge Jesus. Mas este não se terá importado nada com esta contratação. Bruno Henrique soma 23 golos e 9 assistências num total de 42 jogos. Números brilhantes para o avançado proveniente do Santos. Aos 28 anos, ambiciona vencer os primeiros troféus da carreira. É um jogador veloz, com capacidade de drible e técnica apurada. Tem faro para o golo, quando recebe olha para a baliza e procura espaço para rematar ou descobre um colega em melhor posição, que é normalmente Gabriel Barbosa. Estes dois são uma dupla letal no ataque do Flamengo. As boas exibições de Bruno Henrique valeram-lhe duas partidas realizadas no "escrete".

Gabriel Barbosa - Gabigol relançou a sua carreira no Brasil. Apareceu muito jovem e foi protagonista de uma transferência de aproximadamente 30 milhões de euros para o Inter de Milão. Não vingou na Europa e regressou ao Santos, até que o Flamengo se chegou à frente e garantiu o empréstimo do avançado de 23 anos. Ao todo são 37 jogos, com 29 golos marcados e 10 assistências realizadas. Tem sido decisivo e demonstrado o sentido de oportunidade que é fulcral num avançado. Gabriel Barbosa adaptou-se bem ao sistema de Jorge Jesus e tem uma relação especial com o treinador.

Jorge Jesus tem ainda jogadores como Vitinho, Diego, Reinier, Lincoln e Piris como opções.

River Plate

Franco Armani - É o guarda-redes titular dos "Millonários" e é um autêntico muro de betão na baliza. Armani é daqueles jogadores que conquistou rapidamente o carinho dos adeptos. Chegou ao River Plate em janeiro de 2018, proveniente do Atlético Nacional da Colômbia, e assumiu-se como titular da equipa de Buenos Aires. Entretanto, atuou por oito vezes na seleção argentina, o que acaba por ser um número aceitável, tendo em conta a concorrência para essa posição. A "Albiceleste" conta ainda com Estebán Andrada (Boca Juniors) e Agustín Marchesín (F. C. Porto). Como refere o seu treinador, Marcelo Gallardo, "Armani é um guarda-redes que ganha jogos". Não se insere no novo conceito de guarda-redes que participam nas jogadas e prefere jogar "à moda antiga". Tem velocidade nos reflexos, aguenta até à ultima no um para um com o adversário e é especialista em defender penáltis. Na Libertadores, são dez jogos com cinco golos sofridos e seis jogos sem sofrer. No campeonato, são onze jogos com oito golos sofridos e quatro jogos sem conceder golos. Armani teve a baliza inviolável em 50% dos jogos disputados pelo River Plate: 36 em 72.

Gonzalo Montiel - É um defesa de apenas 22 anos, que tem capacidade para atuar em todas as posições do setor defensivo, embora seja na lateral direita que se sinta mais confortável. É da formação do River Plate e faz parte da equipa principal desde 2015, embora só tenha começado a ser aposta regular a partir de 2017. Ao todo, já são 74 jogos pelo clube, com quatro assistências realizadas. As exibições consistentes valeram-lhe a chamada a quatro jogos da seleção por Lionel Scaloni. Destaca-se pelas características defensivas, é agressivo e eficaz nos duelos e é um forte recuperador de bolas, aspeto valorizado pelo técnico Gallardo, por ser apologista do futebol de pressão alta.

Lucas Martínez - Atua como defesa-central do lado direito e está há vários anos no River Plate, embora só tenha ascendido à equipa sénior em 2016. É titular na equipa desde a época passada e esteve presente na vitória da Taça dos Libertadores frente ao Boca Juniors. Aos 23 anos, tem-se mostrado uma revelação no campeonato argentino e com margem de progressão. Já leva 80 jogos pelo clube e cinco golos marcados. Esta evolução valeu-lhe uma convocatória do selecionador da "Albiceleste", bem aproveitada pelo jogador, que disputou duas partidas a titular.

Javier Pinola - O mais experiente da equipa de Buenos Aires. Aos 36 anos, é habitualmente selecionado por Marcelo Gallardo. Chegou ao River Plate há apenas dois anos e já fez parte do Atlético de Madrid, embora só tenha efetuado dois jogos nos "colchoneros". Jogou emprestado no Racing e no Nuremberga, durante muitos anos, até ser adquirido pelos alemães. De seguida, transferiu-se para os argentinos do Atlético Rosario e rumou ao atual campeão da Libertadores em 2017. Atua como defesa-central do lado esquerdo, no entanto, pode também ocupar a lateral esquerda. Com o seu 1,80 metros destaca-se pela raça e vontade em disputar cada lance. É o típico jogador argentino que qualquer treinador gosta de ter no plantel.

Milton Casco - Na época 2015/2016, transferiu-se do Newell's Old Boys para o River Plate e vive os melhores anos da sua carreira, que o premiaram com convocatórias para a seleção nacional, onde jogou por três vezes. Aos 31 anos, é opção regular no onze inicial da "La Banda" e esteve presente na equipa que venceu a CONMEBOL Libertadores na temporada transata. Já acumula 111 jogos com três golos e oito assistências no total. Não é de todo o jogador que dá mais nas vistas, embora cumpra e tenha a confiança do treinador e colegas de equipa.

Enzo Pérez - Este é conhecido de Portugal e certamente os benfiquistas não se esquecem dele. Com passagens na Europa pelo Benfica e pelo Valência, rumou à argentina em 2017, para representar o River Plate. Em pouco mais de dois anos, soma 77 jogos pelos "Millonários". Ao longo dos anos, adaptou o seu estilo de jogo, recuou no terreno e privilegiou mais as qualidades defensivas. Com 33 anos, ocupa regularmente a posição de médio defensivo. Destaca-se pela agressividade nos duelos e a eficácia em interceções e desarmes.

Exequiel Palacios - É um médio centro de 21 anos que está há vários anos no River Plate. Estreou-se pela equipa principal em 2014/2015 com apenas 16 anos e começou a ser aposta em 2017. Marcelo Gallardo já o conhece bem e neste momento tem como função ser o elo de ligação da equipa ao ataque. O talento demonstrado dentro de campo valeu-lhe a primeira convocatória à seleção argentina há pouco mais de um ano. Entretanto, há dois meses, voltou a ser chamado por Scaloni e leva no total quatro internacionalizações com duas assistências anotadas. É um médio inteligente, tecnicamente dotado, com uma visão de jogo soberba e tremenda qualidade de passe. Esteve muito perto de rumar ao Real Madrid na época passada, embora o negócio não se tenha concretizado. Olhos virados para Palacios na final...

Ignacio Fernández - É um médio de 29 anos que jogava no Gimnasia Esgrima y la Plata até 2016, quando se transferiu para outro clube de Buenos Aires, o River Plate. Ao todo são 135 jogos realizados pela "La Banda", com 15 golos e 13 assistências. É um médio centro de origem, apesar de nos últimos tempos ter adaptado a sua posição para médio direito e aumentado o rendimento. Esta época já apontou três golos no campeonato e três golos na Libertadores. Embora não esteja regularmente presente no golo, é um jogador com remate forte e colocado, tem passada larga e tira bons cruzamentos. Além disso, tem uma importância extrema a nível tático, por se envolver com facilidade no ataque da equipa.

Nicolás de la Cruz - Médio ofensivo uruguaio de apenas 22 anos proveniente do Liverpool de Montevideu. Chegou a Buenos Aires em 2017 e mostrou evolução. Na Libertadores apontou três golos e no campeonato (Superliga) marcou quatro e fez outras tantas assistências. Destaca-se pela versatilidade, pois tanto pode atuar no interior como nos corredores, aproveitando trocas posicionais com o lateral-esquerdo Casco. Tem velocidade e drible, desequilibra com pouco espaço e é muito útil nas transições ofensivas. É o jogador com mais dribles completados no torneio, apesar de também ser o que tem maior número de perdas de bola, devido ao facto de arriscar muito no último passe. É um especialista em bolas paradas, principalmente em livres diretos.

Matias Suárez - Suárez jogou muitos anos na Bélgica, ao serviço do Anderlecht. Em 2016, mudou-se para o Belgrano da Argentina e no início deste ano rumou ao River Plate. Tem 31 anos e é dos jogadores mais experientes do plantel. Já realizou cinco jogos pela seleção argentina, incluindo na Copa América deste ano. Em 34 jogos pelo River, tem oito golos e 11 assistências. No Anderlecht, acabou quase com tantas assistências como golos (60 para 68).

Rafael Santos Borré - É um avançado colombiano proveniente do Atlético de Madrid e do Villarreal. É atleta do River desde 2017 e já apontou 26 golos. Esta época tem sete golos em onze partidas no campeonato e na Libertadores anotou dois tentos. Precisa de pouco espaço para criar perigo, é um ponta-de-lança trabalhador, desmarca-se com facilidade para receber e criar situações de perigo.

Marcelo Gallardo conta ainda com Scocco, Lucas Pratto, Quintero, Sosa ou Carrascal para fazer a diferença.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG