US Open

Serena parte a raquete, é punida e reclama com árbitro português

 foto EPA

 foto EPA

 foto EPA

 foto EPA

 foto EPA

 foto EPA

 foto EPA

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

 foto Robert Deutsch-USA TODAY Sports

A tenista norte-americana Serena Williams protagonizou, este sábado, um momento de alguma tensão durante o torneio do Grand Slam de ténis, na final do US Open, de onde saiu derrotada pela japonesa Naomi Osaka.

Num encontro polémico, e dominado desde início pela jovem nipónica, as atenções estiveram, contundo, centradas no árbitro português Carlos Ramos e na norte-americana, que recebeu três advertências. A primeira por "coaching", seguida de abuso de raqueta (que deu origem a um ponto de penalidade) e ainda abuso de linguagem, que resultou num jogo de penalidade.

Serena Williams, 26.ª do mundo, não foi capaz de aceitar a primeira advertência, por ter recebido indicações do treinador Patrick Mouratoglou, e reagiu, logo após o segundo aviso, defendendo não ser 'batoteira', ao mesmo tempo que acusou o árbitro de estar a roubar-lhe um ponto.

"Estás a ofender o meu caráter e deves-me um pedido de desculpas. És um mentiroso. Nunca mais vais arbitrar um encontro meu na vida. Pede-me desculpa. Tu roubaste-me um ponto e és um ladrão também", disparou, recebendo de Carlos Ramos o castigo de um jogo de penalidade, passando Osaka a liderar o segundo set por 5-3.

Apesar da controvérsia e breve interrupção do encontro, ainda com a chamada do supervisor ao 'court', a jogadora nipónica não perdeu a concentração e fechou a vitória sem grandes celebrações, não evitando as lágrimas uma vez nos braços de Serena Williams que, apesar de perturbada, não hesitou em confortar a nova campeã do US Open.

Enquanto Serena Williams disputou a 31.ª final de um 'major' e nona em Flushing Meadows, onde ganhou seis vezes e perdeu três, Naomi Osaka tornou-se na primeira japonesa a marcar presença no derradeiro encontro de um torneio do Grand Slam e primeira a conquistar um major na Era Open (desde 1968).

Graças ao triunfo, Osaka, que só tinha vencido o torneio de Indian Wells, angariou cerca de três milhões de euros, mais do que havia somado em toda a curta carreira, e vai tornar-se número sete da hierarquia WTA.

Relacionadas