SCP

Godinho Lopes aceita eleições e diz que vai a votos no final da época

Godinho Lopes aceita eleições e diz que vai a votos no final da época

O presidente do Sporting garantiu, esta sexta-feira, em Alcochete, que está disposto a ir a eleições no final da temporada desde que não haja Assembleia Geral no dia 9 de Fevereiro. Se assim acontecer, Godinho Lopes apresenta-se a votos.

"A Assembleia Geral [AG] é ilegítima porque é ilegal, o local não é indicado e o CD está disposto a ir a votos muito antes do final do mandato desde que a AG seja desconvocada. Haver AG é desastroso para o Sporting: salários por pagar, passes nas mãos dos jogadores, fornecedores a bater à porta, seria o caos. O CD reúne na segunda-feira e farei a proposta para eleições no final da época. Porque, assim, dizemos aos sócios que não estamos agarrados ao poder", explicou o presidente do Sporting.

Godinho Lopes, numa conferência de Imprensa que durou quase uma hora, admitiu que vai reunir, esta sexta-feira, com o plantel e todos os funcionários leoninos para dar conta da difícil situação financeira, que pode dar azo a salários em atraso, caso se confirme a realização da AG e a destituição da direção, pois tal coloca em causa a entrada de dinheiro.

Mais, o dirigente acusou diretamente a mesa da AG de ser a responsável pelo falhanço das contratações de Niculae e Kléber, bem como a venda de Wolfswinkel para o Dínamo de Kiev.

"Recebemos várias propostas para Wolfswinkel, entendemos que não faria sentido escolher um avançado conforme ele saísse ou não, porque queríamos dois. Estávamos a negociar com o Dínamo de Kiev, Milevski e Ruben, em troca do Ricky e com pagamento generoso que duplicava o investimento. Vinham os dois a título de empréstimo sem encargos para o Sporting. Abortaram porque o Dínamo entendeu que o Sporting podia estar em situação financeira difícil e recuou nos valores, arrastaram-se e cessaram", revelou o dirigente.

"Pensamos manter o Ricky e contratar jogadores diferentes: Paulo Henrique, coincidiu com a demissão do treinador, já com o acordo feito e o novo treinador quis tê-lo. A partir dai olhámos para Niculae e Kléber. No Niculae sabíamos que havia a questão do jogo feito pelo Dínamo, ao mesmo tempo dos exames médicos, queríamos ter a certeza que poderia ser inscrito. A FPF e a FIFA responderam que, desde que a federação romena entendesse que o jogo era da época passada tudo bem, mas não era vinculativo. A Federação romena concordou que era da época passada. No meio disto veio a turbulência da AG, iríamos inscrevê-lo ontem, mas queríamos opinião da FIFA. Havendo AG dia 9, não faria sentido que Niculae ficasse cá sem jogar. Tentámos com o presidente do Vaslui aceitasse o jogador de volta e assim foi", acrescentou.

"Quanto ao Kléber, as negociações estavam feitas, os serviços de secretariado marcaram viagem às 20.45 horas, estava a caminho do aeroporto quando recebo uma chamada da BMG, que tem 20% do jogador, e disseram que queriam garantia pessoal do presidente por causa da conferência de imprensa. Estas perturbações são de enorme gravidade", descreveu.

Por fim, o dirigente disse ainda que o Benfica pressionou, através de Luís Filipe Vieira, para que o Sporting trocasse Insúa por Nolito e Kardec e que se recusou a falar com o homólogo benfiquista, porque ainda não houve um pedido de desculpas público sobre as acusações que Vieira fez a Luís Duque.