O Jogo ao Vivo

SCP

Godinho Lopes revela negociações com investidores de Angola e EUA

Godinho Lopes revela negociações com investidores de Angola e EUA

O presidente do Sporting, Godinho Lopes, está em negociações com vários investidores internacionais, nomeadamente dos Estados Unidos e de Angola, e promete novidades em breve.

"O Sporting está a seguir uma estratégia de internacionalização e definiu os países onde deve fazer investimentos, países de onde vêm os investidores. Um desses países é Angola, e outro os Estados Unidos, onde assinámos uma parceria com a Associação de Futebol da Geórgia", revelou Godinho Lopes, em entrevista à Agência Lusa, prometendo anunciar futuros acordos noutros países "à medida que o Sporting os for assinando" e revelar à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) "quando se concretizar a entrada de um investidor" no capital social da SAD.

Admite, porém, "não ter" ainda "nenhum investidor já garantido", mas assegura "estar a trabalhar em vários países diferentes, nos quais tem "mantido negociações", e que "existem investidores que reconhecem a mais-valia que o Sporting representa e que estão interessados" em investir na SAD.

Invocou o facto de o Sporting ser uma "marca fortíssima" na Europa, de ser "o único clube português que nunca falhou a presença numa prova europeia", ter uma Academia que trouxe para o futebol mundial "jogadores de classe reconhecida" e que é considerada, a par da do FC Barcelona e do Lyon, "uma das três melhores" do velho continente, para expressar o seu convencimento de que o clube "vai arranjar investidores".

Questionado sobre o motivo dessa confiança, quando o clube tem um desequilíbrio estrutural crónico, que se traduz em prejuízos anuais de dezenas de milhões e um passivo brutal, suficientes para afugentar qualquer investidor, Godinho Lopes rebateu, invocando as suas previsões sobre a evolução a médio prazo da situação financeira do Sporting.

"Vai haver um decréscimo dos custos, uma subida das receitas e um cruzar dessas linhas a partir de 2013/14, quando estas passam a ser superiores", repisou o presidente "leonino", para justificar o seu otimismo.

No entanto, "apesar das receitas passaram a ser superiores às despesas", a partir de 2013/14, e de acordo com as previsões do presidente do clube de Alvalade, "há uma fatia importante para pagar, que é o custo financeiro da dívida".

É por isso que Godinho Lopes enfatiza a importância da "entrada de investidores com capital fresco", que "permitam diminuir essa dívida e os seus custos financeiros", transformando o Sporting num "clube solvente".

Sobre o papel que restará aos sócios, face à entrada de novos investidores com poder de decisão, o líder dos "leões" alega que "só têm de ficar tranquilos" face ao aparecimento de alguém que "mete dinheiro no clube e garanta a sua sustentabilidade ao longo da vida", resolvendo parte do passivo, ainda por cima "numa posição minoritária".

Por isso, faz um apelo aos sócios para que compareçam na Assembleia Geral do próximo dia 24, em que se pretende concretizar a fusão da Sporting Património e Marketing (SPM) e a SAD, e que "permitirá ao Sporting deter 98% da Sociedade, onde está a equipa de futebol, e torná-la solvente e simultaneamente em conformidade com as regras do 'fair-play' da UEFA, para poder continuar a competir nas provas europeias".