Futebol

Golo de Marcano salva F. C. Porto reduzido a 10 em Portimão

Golo de Marcano salva F. C. Porto reduzido a 10 em Portimão

O F. C. Porto venceu este domingo o Portimonense por 3-2, num jogo cheio de incidências, em que chegou à vantagem de dois golos, concedeu o empate e, já em inferioridade numérica, conseguiu impor-se no último suspiro.

Na partida da quinta jornada da Liga, o F. C. Porto, dominador no primeiro tempo, adiantou-se no marcador aos 25 minutos, de grande penalidade, convertida por Alex Telles, e ampliou a vantagem em cima do intervalo, por Zé Luís (45), somando mais duas bolas nos ferros.

O Portimonense entrou tarde no jogo, mas a tempo de empatar, nos seus dois primeiros remates, por Dener (74) e Koki Anzai (77), e, quando parecia poder celebrar pelo menos a conquista de um ponto, com o F. C. Porto reduzido a dez elementos por expulsão de Alex Telles (90+2), surgiu o golo decisivo para os portistas, pelo central Marcano, aos 90+8.

O F. C. Porto juntou-se ao Benfica no segundo lugar, ambos com 12 pontos, menos um do que o líder Famalicão, enquanto o Portimonense ocupa o 14.º posto, com quatro pontos.

Os algarvios, que vinham de uma derrota no terreno do Moreirense (1-0), surgiram em campo com quatro estreias absolutas no onze: Jackson Martinez, Lucas Fernandes, Rodrigo Freitas, que já tinham sido suplentes utilizados, e o lateral-esquerdo Júnior Tavares, reforço apresentado no último dia do mercado de transferências.

No F. C. Porto, estavam vários jogadores em dúvida por lesão, mas apenas Romário Baró ficou de fora, ocupando Otávio o lugar e assumindo-se como a única mudança face ao triunfo ante o Vitória de Guimarães (3-0), na jornada anterior.

A equipa de Sérgio Conceição assumiu o ascendente desde o início da partida, mas só criou perigo aos 13 minutos, quando Luis Diaz recebeu na esquerda, livrou-se da oposição de Koki Anzai com um drible e atirou ao poste direito da baliza de Ricardo Ferreira.

Com a presença do F. C. Porto a intensificar-se junto à área algarvia, o golo acabou por chegar, mas de bola parada, por Alex Telles, que, aos 25 minutos, converteu uma grande penalidade (mão de Jadson num corte em 'carrinho') assinalada por Rui Costa e ratificada pelo videoárbitro.

Com o Portimonense remetido ao seu meio-campo - chegou ao intervalo sem qualquer remate na estatística oficial -, o F. C. Porto ameaçou o segundo golo num desvio de Danilo ao poste direito (25) e num tiro de Zé Luís (38), que acabaria por concretizar perto do final do primeiro tempo, num desvio ao segundo poste, após cruzamento da direita de Uribe.

Com uma vantagem clara no marcador e no relvado, o F. C. Porto surgiu tranquilo após a visita ao balneário, continuando a manter o ascendente e criando perigo num remate de Marega à figura do guarda-redes, após boa jogada na direita (52).

O Portimonense parecia ausente da partida, mas começou a acelerar com a entrada de Marlos Moreno, aos 65 minutos, e revelou-se muito eficaz ao marcar dois golos nos dois primeiros remates, surpreendendo Marchesin, que até então tinha sido um mero espetador.

Dener reduziu de cabeça após cruzamento de Aylton Boa Morte, aos 74, e Koki Anzai igualou, num excelente remate de pé esquerdo, em arco, de fora da área, aos 77.

O F. C. Porto acusou os dois golos de rompante do adversário e já não conseguiu voltar à partida, enquanto o Portimonense, em contra-ataque, esteve perto do golo do triunfo, mas Jackson Martinez, isolado, permitiu a defesa de Marchesin (87).

Aos 90+2, Alex Telles foi expulso, por falta sobre Marlos Moreno, que seguia isolado, junto à grande área, num lance de fora de jogo mal assinalado pelo auxiliar, mas revisto pelo videoárbitro.

O Portimonense já pensava no empate, quando o F. C. Porto, no oitavo minuto de descontos, marcou o golo decisivo, com Marcano a cabecear, no coração na área, após canto de Corona.

Veja o resumo do jogo:

Outras Notícias