Futebol

Governo espanhol quer explicações sobre incidente no Cádiz-Valência

Governo espanhol quer explicações sobre incidente no Cádiz-Valência

O Governo espanhol solicitou, esta quarta-feira, explicações à Liga de clubes e à federação de futebol sobre os alegados insultos racistas dirigidos por Juan Cala ao francês Mouctar Diakhaby, no jogo entre o Cádiz e o Valência, no domingo.

Os ministérios da Igualdade e dos Direitos Sociais espanhóis enviaram uma carta conjunta aos presidentes da Liga, Javier Tebas, e da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Luis Rubiales, na qual manifestaram preocupação com o sucedido, que levou à interrupção da partida do campeonato espanhol, depois de Diakhaby, do Valência, ter acusado Cala, do Cádiz, de racismo.

"É algo alarmante quando um jogador que denunciou insultos racistas sai de campo e termina o jogo no banco, enquanto o presumível ofensor continua no terreno de jogo", transmitiram os dois ministérios, na missiva enviada.

Desta forma, o Governo espanhol pretende saber "quais as medidas concretas" que foram tomadas pelos dois organismos que regem a modalidade, bem como "as ações de prevenção previstas para que se evite que situações semelhantes se repitam no futuro em todos os campos de futebol pelo país".

"Manifestamos a nossa total disponibilidade para colaborar com as instituições e o nosso firme e permanente compromisso na luta contra o racismo e qualquer forma de discriminação", referem ambos os ministérios.

Já esta quarta-feira, a Federação Espanhola de Futebol (RFEF) anunciou a abertura de um processo disciplinar a Juan Cala, para "esclarecer" se houve insultos racistas do defesa do Cádiz a Diakhaby, num incidente que, no domingo, levou os jogadores do Valência a abandonarem o terreno de jogo, em protesto pelas alegadas ofensas ao jogador francês.

Decorria o minuto 29 do encontro no Estádio Ramón de Carranza, quando, na sequência de um livre a favor do Cádiz, Cala e Diakhaby trocaram argumentos dentro da área valenciana, levando, posteriormente, o central francês a percorrer meio-campo para interpelar o adversário.

PUB

Depois de os jogadores das duas equipas terem separado Cala e Diakhaby, o francês foi admoestado com um cartão amarelo e esteve alguns segundos a explicar ao árbitro o que tinha acontecido, antes de se retirar de campo, acompanhado por todos os jogadores 'che', entre os quais os portugueses Thierry Correia e Gonçalo Guedes.

A equipa do Cádiz também seguiu o caminho dos balneários e o encontro esteve interrompido cerca de 25 minutos. Embora o Valência tenha regressado ao relvado para retomar o jogo, fê-lo já sem Diakhaby, que foi substituído por Hugo Guillamon.

O Cádiz venceu a partida por 2-1, sendo que Juan Cala marcou o primeiro tento dos andaluzes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG