Premium

Guarda-redes confessa penálti e é compensado no fim

Guarda-redes confessa penálti e é compensado no fim

Rafael Ferreira confessou ao árbitro que tinha cometido penálti. Viu o cartão branco do fair play pela sinceridade e o castigo máximo saiu ao lado.

O jogo entre Valecambrense e S. Vicente Pereira, em infantis B, caminhava para o fim quando um jogador da equipa da casa caiu na área do conjunto forasteiro, que vencia por 2-1. O árbitro assinalou o penálti, esboçaram-se alguns protestos, mas o infrator rapidamente assumiu as culpas. "Acertei com os pés no jogador. Podia tê-lo aleijado e fiquei preocupado. Os meus colegas ainda começaram a reclamar, mas disse-lhes que era penálti", conta Rafael Ferreira, guarda-redes do S. Vicente Pereira. Emanuel Boturão, o treinador, nem percebeu muito bem o que tinha acontecido, "mas se o Rafa disse que era penálti, é porque era", ou não fosse o jovem visto por todos como muito educado e sem ponta de maldade.

"Isso vem da educação que os meus pais me deram", os mesmos que, ainda em França, onde estiveram emigrados, descobriram que o filho chegava a casa com fome porque partilhava o lanche com os amigos mais carenciados na escola. "Admiro-o muito. É o único guarda-redes da equipa, mas não falta a um treino", acrescenta Emanuel Boturão.