Juventus - F. C. Porto

Heróis com alma gigante e um coração recheado de fibra

Heróis com alma gigante e um coração recheado de fibra

F. C. Porto escreve página de glória e afasta a Juventus, de Ronaldo, com dois golos de Sérgio Oliveira. Dragão joga mais de uma hora reduzido a dez, por expulsão de Taremi, mas sobrevive ao prolongamento

Este é daqueles jogos que vão perdurar na memória da nação portista. O F. C. Porto está com todo o mérito, alma e coragem nos quartos de final da Champions, apesar da derrota, por 3-2, frente à "Vecchia Signora", de Cristiano Ronaldo. Prevaleceu a vantagem dos golos fora para selar uma derrota com sabor a vitória e um apuramento épico, que coloca os dragões entre as oito melhores equipas da Europa.

O F. C. Porto fez um primeiro tempo vintage, de luxo, a roçar a perfeição, mas os jogos ganham vida e o início da segunda parte foi desastroso, culminando com a expulsão infantil de Taremi, que pontapeou a bola já depois do jogo estar interrompido.

Em dois minutos, o dragão foi do céu ao inferno e teve a passagem seriamente comprometida mas nunca se desuniu e, desta vez, mostrou da fibra que é feito, ao contrário do que tem acontecido em alguns jogos das provas domésticas.

Conceição nem surpreendeu no onze, mas a dinâmica foi diferente, com Corona a baixar e Manafá a bascular, criando uma linha de cinco na retaguarda. Com Pepe gigante no eixo e um monstruoso Marchesín, o F. C. Porto anulou todas as ações da Juventus e colocou-se ainda em situação mais confortável quando Sérgio Oliveira, de penálti, a castigar falta de Demiral sobre Taremi, fez o 0-1.

No recomeço, numa rara falha de concentração, Ronaldo conseguiu receber a bola na área e assistir Chiesa, que fez o empate num excelente remate. Logo a seguir, Taremi vê dois amarelo em dois minutos e a Juventus dá a volta ao marcador com outro golo de Chiesa, este de cabeça.

A eliminatória estava empatada e o F. C. Porto teve de sofrer para suster o ímpeto da Juventus, que viu Cuadrado atirar à trave perto do fim (90+3). Com alma e organização, a equipa de Conceição forçou o prolongamento e aí Sérgio Oliveira, com toda a crença do mundo, fez o 2-2, de livre. Num final dramático, Rabiot ainda fez o 3-2, de cabeça, mas o dragão cerrou fileiras e fez mesmo a festa em Turim.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG