Desporto

Imagens mostram gestos obscenos de treinador do Benfica para adeptos do F. C. Porto

Imagens mostram gestos obscenos de treinador do Benfica para adeptos do F. C. Porto

Nuno Marçal, jogador do F. C. Porto, acusa o treinador da equipa de basquetebol do Benfica de ter "incendiado" o ambiente no Dragão Caixa, após o jogo que deu o título aos encarnados e que acabou com uma carga policial. As imagens mostram Carlos Lisboa a fazer gestos obscenos para os adeptos e uma alegada ameaça ao treinador adjunto dos dragões. Veja o vídeo.

"O comportamento do treinador do Benfica no fim do jogo foi simplesmente vergonhoso, é uma coisa inqualificável", disse Nuno Marçal, em declarações ao Porto Canal. As imagens chegaram à Internet, e também a outras televisões, e mostram gestos obscenos de Carlos Lisboa no fim do encontro no dragão.

Nas primeiras imagens disponíveis, via-se Nuno Marçal a protestar com Carlos Lisboa, no fim do encontro. "A única coisa que lhe fui dizer é que ele tem de ter respeito na casa do Porto. Ele foi campeão, é um sinal, não lhe vou dar os parabéns porque ele não merece. O que ele fez aqui foi incendiar o ambiente", argumenta o jogador do F. C. Porto.

A reação dos adeptos, nas bancadas, acabou com uma carga policial e forçou a equipa do Benfica a refugiar-se no balneário, onde viria a receber a taça. A situação motivou uma reação de Pinto da Costa e duras críticas de Luís Filipe Vieira, que considerou ser "uma vergonha para o país" o que se passou no Dragão Caixa.

Os incidentes motivaram a intervenção de Pinto da Costa, que acusou a polícia de uso excessivo de força. Logo na noite do jogo, os "dragões" emitiram um comunicado a criticar a atitude de Carlos Lisboa, acusando-o de provocar os adeptos do F. C. Porto.

"O treinador Carlos Lisboa, do Benfica, podia perfeitamente festejar a vitória de forma urbana e civilizada, mas preferiu fazê-lo provocando e insultando com palavrões os adeptos do F. C. Porto", pode ler-se no comunicado dos dragões. "Ao mesmo tempo, um roupeiro do mesmo clube arremessou objectos para a bancada, o que originou um clima de tensão que inviabilizou a entrega da Taça", acrescenta a nota intitulado "A vergonha da Polícia".

"A polícia agrediu gratuitamente uma série de espectadores, entre os quais mulheres e crianças, que nenhum crime cometeram, apenas se deslocaram ao Dragão Caixa para assistir a um jogo de basquetebol", diz o comunicado do F. C. Porto.

Nuno Marçal junta-se à defesa dos adeptos. "Tenho muito orgulho na nossa massa associativa, que se portou lindamente, do primeiro ao último minuto, apenas se preocupando em apoiar a equipa", disse, reiterando as críticas Carlos Lisboa.

"O símbolo nacional, que toda a gente o qualifica de ser o melhor jogador de todos os tempos, como treinador foi uma vergonha", disse Nuno Marçal.

"Recordo ato, que ele fez par ao nosso treinador adjunto, que nem vale a pena estar a dizer, porque é fraquíssimo", disse Nuno Marçal, aludindo a um movimento de Carlos Lisboa, que simula cortar a garganta, alegadamente dirigindo-se ao banco do F. C. Porto.