Óbito

Imprensa espanhola fez pacto de silêncio sobre doença da filha de Luis Enrique

Imprensa espanhola fez pacto de silêncio sobre doença da filha de Luis Enrique

Xana, de nove anos, a filha mais nova do treinador e ex-selecionador espanhol Luis Enrique morreu na passada quinta-feira, vítima de um tumor ósseo maligno. No país vizinho, a maioria dos jornalistas sabia da doença da menina, mas todos respeitaram a privacidade a pedido da Federação.

Numa altura em que tudo parece valer no jornalismo, os profissionais da imprensa em Espanha provaram que ainda há espaço para a ética, fazendo um pacto de silêncio sobre a doença que acabou por matar Xana, "depois de cinco meses a lutar contra um osteosarcoma", como informou o ex-selecionador da "Roja" e ex-treinador do Barcelona.

A notícia chocou o mundo, mas no país vizinho havia quem soubesse há muito da luta por que passava a menina e o sofrimento de Luis Enrique e da mulher, Elena Cullell, por tentar uma cura, apesar de nunca ter sido garantida pelos médicos.

Jornalista da área do desporto e jogadores de grandes clubes conheciam a situação, mas nunca se ouviu nada na praça pública, nem em nenhum jornal ou revista, o que foi louvado pelo filho da ex-ministro espanhol José Ignacio Wert nas redes sociais: "Importa sublinhar o papel desempenhado pelos jornalistas, que atenderam à discrição que o protagonista solicitou com toda a lógica. Com a falta de escrúpulos e o gosto pela morbidade predominante, era fácil esperar o contrário".

Foi por isso que, na hora de partilhar o triste desfecho, Luis Enrique agradeceu "a discrição e compreensão", até porque nem sempre a imprensa espanhola respeitou a dor alheia. Aconteceu, como lembra o jornal "El Español" quando se descobriu que o filho da atriz Ana Obregón, de 27 anos, também tinha cancro, e rapidamente começaram a circular imagens da família.

PUB

Mas Xana era menor e o pai sempre preservou a intimidade da mulher e dos três filhos (é pai também de Pacho, de 19 anos, e Sira, de 17 anos). Além disso, a Federação Espanhola de Futebol abriu o jogo com os jornalistas e pediu respeito perante o drama.

Foi em março quando Luis Enrique não esteve no jogo de qualificação para o Euro 2020 contra Malta, por "motivos familiares de força maior"."Dissemos aos jornalistas que geralmente nos acompanhavam o que estava a acontecer e pedimos respeito", explicou uma porta-voz da Federação ao "El Español". Apenas um site não acatou o pedido, avançando com a notícia de que ninguém fez eco e que passou despercebida.

Luis Enrique soube da doença da filha mais nova a 25 de março, pouco depois de se ter apresentado bem disposto na conferência de imprensa de antevisão do jogo contra Malta, quando recebeu um telefonema da mulher e soube o motivo das dores de que a menina se queixava.

Abalado, informou o presidente da Federação espanhola e regressou a Barcelona, na companhia de Joaquín Valdés, psicólogo da seleção e seu amigo pessoal. Em junho, deixou mesmo os comandos técnicos da "Roja".

Outras Notícias