Liga Europa

Árbitro do Benfica - Galatasaray precisou de escolta policial

Árbitro do Benfica - Galatasaray precisou de escolta policial

Ânimos muito exaltados no Estádio da Luz, com o treinador Fatih Terim a esperar pela equipa de arbitragem no túnel de acesso aos balneários. Os juízes do encontro precisaram de cordão policial.

O Galatasaray protestou bastante a arbitragem do encontro frente ao Benfica, no Estádio da Luz, e a equipa de arbitragem precisou de um cordão policial para percorrer o caminho desde o túnel até ao balneário.

Isto porque Fatih Terim, treinador do Galatasaray, dirigiu-se ao quarto árbitro mal o encontro terminou, tendo a seguir esperado pelo juiz do encontro, Ovidiu Hategan, para tirar satisfações, juntamente com outros elementos da equipa técnica.

Perante a revolta do treinador da formação de Istambul, a equipa de arbitragem teve acompanhamento policial para chegar em segurança ao balneário.

Após o episódio, Fatih Terim criticou duramente a arbitragem do jogo que terminou 0-0 e que valeu a passagem do Benfica aos oitavos de final da Liga Europa. Em causa, o lance de Diagne, a cinco minutos dos 90, que chegou mesmo a introduzir a bola dentro da baliza, mas o lance foi invalidado por posição irregular.

"No primeiro jogo marcaram um penálti e agora foi um fora de jogo mal assinalado. Os golos anulados são culpa da UEFA porque se houvesse VAR não sabemos se íamos passar esta fase, mas pelo menos não íamos ser prejudicados desta maneira", disse o treinador do Galatasaray.