Desporto

Asafa Powell assume doping em "dia negro" para a velocidade

Asafa Powell assume doping em "dia negro" para a velocidade

O jamaicano Asafa Powell, antigo recordista mundial de 100 metros, anunciou este domingo, através de comunicado, ter tido um controlo antidoping positivo, nos recentes campeonatos nacionais da Jamaica.

O anúncio feito por Powell segue-se à divulgação pela imprensa jamaicana de que haveria cinco casos positivos de atletas nos campeonatos da Jamaica, entre os quais Powell, Nesta Carter e Sherone Simpson, e ocorre no mesmo dia em que o norte-americano Tyson Gay, que detém a melhor marca mundial do ano, confirmou que também teve um controlo positivo e que vai falhar os Mundiais de atletismo de Moscovo.

Powell afirma que terá ingerido inadvertidamente um produto estimulante, oxilofrina.

"Quero assegurar à minha família, aos meus amigos e aos meus adeptos que nunca tomei voluntariamente produtos proibidos, não sou nem nunca fui um batoteiro. O meu erro não é ter feito batota, mas não ter sido mais vigilante", disse Powell.

O jamaicano, que afirma estar "completamente devastado pela situação", adianta que foi aberto um inquérito para saber de que forma foi introduzido o produto no organismo.

Segundo o diário "The Gleaner", que foi o primeiro jornal a noticiar a existência dos cinco casos positivos, os velocistas em causa poderão ter ingerido a substância proibida através de um suplemento alimentar novo, introduzido há pouco no seu grupo de treino.

Asafa Powell foi o recordista mundial imediatamente anterior a Usain Bolt, com marcas de 9,77 e 9,74, mas só conseguiu medalhas de ouro em Jogos Olímpicos e Mundiais nas estafetas 4x100 metros, tal como a sua compatriota Sherone Simpson.

Nesta Carter é outro atleta jamaicano de primeira linha, que no sábado tinha feito, em Madrid, a segunda melhor marca do ano, com 9,87 segundos.

Os controlos positivos de Powell, Nesta Carter e Sherone Simpson juntam-se a outros dois, mas de provas de saltos e lançamentos, registados nos "trials" jamaicanos, entre 20 e 23 de junho em Kingston. Há um mês, o setor de velocidade da Jamaica já tinha sido abalado com o positivo de Veronica Campbell-Brown.

Entretanto, também este domingo "caiu" também o líder mundial de 2013 e recordista dos Estados Unidos, Tyson Gay. Sem revelar qual a substância, Gay disse que a Agência Mundial Antidopagem (USADA) lhe comunicou que tinha tido uma análise positiva num controlo fora de competição a 16 de maio, revelando que já pediu a contra-análise.

"Não tenho nenhuma história sobre sabotagem. O que sucedeu foi que pus a minha confiança em alguém e essa pessoa falhou", referiu Gay, que foi campeão do Mundo em Osaka2007.

Após um ano de 2012 com muitas lesões e uma operação às costelas, Gay parecia ter recuperado a sua melhor forma e, com tempos de 9,75 segundos nos 100 metros e 19,74 nos 200, afigurava-se como o grande rival do jamaicano Usain Bolt nos Mundiais, que se realizam em Moscovo, de 10 a 18 de agosto.