Premium

Bailarino com arte para marcar golos

Bailarino com arte para marcar golos

Costinha é professor de dança e arrasa no ataque do Mocidade Sangemil. Marcou cinco tentos num só jogo.

Promessa da formação do F. C. Porto, Costinha não concretizou o sonho de ser futebolista profissional e, desde muito cedo, dedicou-se à dança. No entanto, o bailarino, de 30 anos, continua a dar espetáculo nos relvados, tendo, na sexta-feira, protagonizado um festival de golos na vitória (7-1) do Mocidade Sangemil frente ao Senhora da Hora, da 1.ª Divisão Série 1, em que assinou cinco dos sete tentos da equipa maiata.

Sem espaço no F. C. Porto, Costinha saiu do dragão no segundo ano de júnior e deu especial atenção à dança, arte em que se tornou um bailarino de excelência e um professor muito requisitado. "Para fazer carreira no futebol teria de sair da zona do Porto e, como já tinha muitos alunos, optei pela dança, embora o futebol sempre fosse a principal paixão", explica o avançado, que nos seniores trocou o futebol pelo futsal, onde teve a primeira experiência na Académica de Leça. "Dava para conciliar melhor os horários dos treinos e ajudou a manter viva a paixão. Só tenho pena de não ter podido dedicar-me a 100%. Foi uma experiência muito boa", reconhece Costinha, que há três anos regressou aos relvados, no Mocidade Sangemil.