Desporto

Bancada nova em Paços de Ferreira com acesso limitado para receção ao Benfica

Bancada nova em Paços de Ferreira com acesso limitado para receção ao Benfica

Os interessados em assistir domingo ao jogo entre Paços de Ferreira e Benfica, da I Liga de futebol, só vão poder utilizar um dos três pisos da nova bancada, adiantou à agência Lusa o vice-presidente do clube pacense.

Engenheiro de profissão, Rui Seabra seguiu de perto as obras e esclareceu que a circulação na bancada construída de raiz é "ainda restrita", uma vez que "os acessos à bancada e os respetivos lugares, correspondentes ao Piso 1, assim como a zona de bar e as casas de banho, são as zonas abertas".

"Os restantes pisos, o segundo para escritórios e de apoio aos camarotes, estes localizados no terceiro, não serão ainda utilizados", acrescentou o dirigente, confirmando que "a bancada vai continuar a ser utilizada", por estarem "garantidas as condições de segurança, videovigilância e controlo de entradas".

Rui Seabra apontou o final da época como data prevista para a conclusão da nova bancada, cujas obras vão continuar a decorrer, e lembrou que "o restante será feito sem data definida e avançará conforme o dinheiro disponível".

"A bancada amovível, por trás da baliza Norte, será instalada no outro topo, mais próximo da rotunda, e cederá o seu lugar a uma nova estrutura, pensada para os novos balneários do futebol profissional e apoio ao departamento juvenil. Projetada para começar na próxima época, será encimada por uma bancada, a construir quando houver possibilidades", insistiu.

Em relação aos custos da empreitada, o homem forte do projeto pacense referiu que, com a conclusão da bancada, já incluindo o acrescento feito (na estrutura antiga), os trabalhos estão orçados em cerca de 2,5 milhões de euros.

"Mas serão precisos, em números redondos, mais 500 mil para a deslocalização do relvado e das torres de iluminação ou a renovação da rede elétrica, perfazendo os três milhões de euros. E, para o estádio todo, conforme está projetado, juntando duas bancadas nos topos, o custo rondará os cinco milhões", precisou.

Rui Seabra explicou ainda que a direção desistiu de virar o sentido do relvado porque isso "criava a dúvida sobre a sua utilização nesta época".

"Jogar fora todo o tempo retirava identidade ao clube e, por isso, não quisemos prejudicar a parte desportiva", concluiu.

A nova bancada do Estádio Capital do Móvel, em Paços de Ferreira, tem capacidade para cerca de 3350 espetadores, 350 em lugares de camarote, ainda indisponíveis, perfazendo uma lotação a rondar os sete mil lugares.