Desporto

Benfica assina petição pelas novas tecnologias

Benfica assina petição pelas novas tecnologias

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, tornou-se esta quinta-feira no primeiro dirigente máximo de um clube "grande" a assinar a petição a favor da introdução de novas tecnologias no futebol, colocada na Internet pelo jornalista Rui Santos.

Depois do Sporting de Braga, o Benfica, através do seu presidente, é o segundo clube português, e o primeiro dos três "grandes", a subscrever o "Movimento Pela Verdade Desportiva", que em três meses de duração já reuniu perto de seis mil assinaturas.

"Estamos a falar do clube com o maior número de adeptos e, do ponto de vista do simbolismo, esta adesão é sempre importante, já que é um clube que tem peso e representatividade nacional e internacional, como seria importante também ter o FC Porto e o Sporting", referiu Rui Santos à Agência Lusa.

Para o actual comentador da SIC e do Record, a adesão do presidente do clube da Luz à petição "é uma atitude de alguém que sente que o futebol precisa de caminhar noutro sentido".

"No mundo tecnológico como o nosso, que evoluiu tanto, se temos meios à disposição porque não utilizá-los e assim ter mais verdade desportiva? O Benfica provavelmente teve esse entendimento, assim como o Sporting de Braga", disse.

Quando à petição, que já foi subscrita por várias personalidades ligadas ao futebol, se estiver "devidamente sustentada", Rui Santos espera apresentá-la à UEFA e à FIFA.

"O número de pessoas a subscrever não é importante, mas sim ter um conjunto de pessoas mobilizadas nesse sentido", explicou.

Entre os apoiantes estão o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Laurentino Dias, o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Gilberto Madaíl, o presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Hermínio Loureiro, o seleccionador nacional, Carlos Queiroz, o treinador espanhol do Benfica, Quique Flores, e o antigo internacional português João Vieira Pinto, entre outros.

Os antigos árbitros Jorge Coroado e José Leirós também já aderiram, assim como o antigo presidente da República Jorge Sampaio ou o empresário da comunicação social Francisco Pinto Balsemão.