FCP

Benfica e Guimarães recorrem contra F. C. Porto

Benfica e Guimarães recorrem contra F. C. Porto

O Tribunal Arbitral do Desporto anunciou hoje ter recebido recursos urgentes do Benfica e do Vitória de Guimarães contra a decisão da UEFA de incluir o F. C. Porto na Liga dos Campeões de futebol 2008/09.

"O Tribunal Arbitral do Desporto recebeu hoje dois apelos, um do Benfica e um do Vitória de Guimarães, contra a decisão da Comissão de Recursos da UEFA , que anulou a decisão de primeira instância da UEFA, recusando a admissão do F. C.Porto na Liga dos Campeões 2008/09. As directrizes do procedimento de arbitragem serão emitidas pelo TAS dentro de dias. Os dois recorrentes pediram uma decisão, o mais tardar, até final de Julho", lê-se em comunicado do organismo sedeado na cidade suíça de Lausana.

Em causa está o sorteio da terceira pré-eliminatória da "Champions", agendado para 01 de Agosto, uma vez que, caso se confirme a primeira decisão da UEFA, excluindo os "dragões" da prova devido ao castigo por tentativa de corrupção na Liga portuguesa, o Benfica participaria nesta fase preliminar da competição e não na Taça UEFA.

Já o Vitória de Guimarães, em vez de ter que lutar por uma vaga na fase de grupos, seria automaticamente apurado para a fase regular da prova.

Em declarações à Agência Lusa, João Nogueira da Rocha, juiz do TAS, admitiu o cenário de uma decisão no prazo de um mês.

"Partindo do princípio que foi interposto recurso, é possível que as partes acordem na natureza urgente do processo e seja decidido até 01 de Agosto. Haveria um mês para a decisão ser tomada, já que são questões de direito e não questões de facto. É possível, não quer dizer que aconteça", explicou.

Os recursos pretendem contrariar a decisão do Comité de Apelo da UEFA, de 13 de Junho, que permite ao FC Porto participar na Liga dos Campeões, apesar de estar ainda condicionado a uma decisão do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Na base da decisão da UEFA, que tinha excluído em primeira instância o FC Porto da Liga dos Campeões - no seguimento das decisões da Comissão de Disciplina da Liga Portuguesa de Clubes Profissionais, por tentativa de corrupção de dois árbitros de futebol na temporada 2003/04, no âmbito do processo Apito Final -, esteve a morosidade da resolução do processo nas instâncias desportivas portuguesas.