setúbal goleada premeia eficácia do

Benfica tira barriga de misérias

Benfica tira barriga de misérias

O Benfica voltou a empolgar os adeptos ao golear este domingo o Vitória de Setúbal por 4-0, fruto de uma exibição agradável e convincente. Continua na perseguição ao Sporting mercê dos bis de Nuno Gomes e de Cardozo.

O Benfica concedeu ontem um dia especial aos adeptos. Não os fez sofrer até ao último minuto como é hábito - neste campeonato, é importante lembrar que foi apenas a quarta vez que venceu por mais de um golo de diferença -, a equipa jogou mais equilibrada e não sofreu qualquer remate certeiro na sua baliza, algo que já não acontecia há oito partidas. No entanto, os simpatizantes das águias estão na dúvida, pois já não sabem se desejam a permanência ou a saída do treinador. Alternam os lenços brancos com os aplausos, uma relação amor-ódio que ainda não se sabe como terminará.

Quique Flores fez bem em não mexer no onze que defrontou a Académica (foi apenas a quarta vez esta época na Liga que repetiu a equipa inicial). À semelhança do que sucedera na Luz há uma semana, o conjunto foi capaz de criar inúmeras ocasiões de perigo, mas desta vez as bolas não se perderam nos postes ou nas mãos do guarda-redes. Entraram quatro e se acabasse com mais um ou dois não ficava mal. É verdade que também pode agradecer ao Vitória de Setúbal. Há muito que não encontrava uma equipa tão permeável defensivamente. Reyes fez gato-sapato de Michel e Aimar encontrou finalmente espaço para o seu futebol requintado. Os leões e a Champions continuam a quatro pontos e o Nacional está outra vez a seis.

Em apenas dois minutos, o jogo ficou sentenciado. Depois de um início pouco objectivo, os encarnados inauguraram o marcador com um belo cabeceamento de Nuno Gomes aos 25 minutos, após cruzamento de Sidnei. Pouco depois, Cardozo aproveitou um ressalto, que resultou de um livre de Carlos Martins, para fuzilar. A primeira parte não chegaria ao fim sem o bis do internacional paraguaio. Isolado na esquerda (mais um brinde sadino), fez e dispôs de Kieszlek. Já vai em 11 tentos na Liga.

A segunda parte foi, naturalmente, pior em todos os aspectos. Os lisboetas passaram a gerir a vantagem confortável e os sadinos tentaram remediar o pesadelo com, pelo menos, um golo. O jovem Brigues teve "esse" golo nos pés em duas ocasiões, mas seria novamente Nuno Gomes a marcar após belíssima jogada que incluiu Rúben Amorim e Di María. O conjunto do Sado tem, por seu lado, razões para estar apreensivo. Apenas dois pontos distam da linha de água e está visivelmente desorientado do ponto de vista mental e táctico.

ver mais vídeos