Desporto

Bruno de Carvalho ataca Luís Filipe Vieira

Bruno de Carvalho ataca Luís Filipe Vieira

Poucos minutos depois da vitória do Benfica no Estádio do Bessa, o presidente do Sporting teceu duras críticas ao rival da Segunda Circular e deixou entender que o clube encarnado esteve por trás dos outdoors e dos panfletos que criticam a gestão leonina.

Bruno de Carvalho começa o texto publicado no Facebook com uma citação de Luís Filipe Vieira: "Não é por se insultar que se é grande" foi a frase escolhida pelo líder verde e branco, que concordou com as palavras do presidente benfiquista, antes de passar ao ataque.

"É verdade. E que isto sirva de lição a quem tem 11 'cães de fila' titulares, mais o banco de suplentes, a debitar insultos e ódio diariamente", escreveu Bruno de Carvalho, numa alegada alusão ao duelo entre Boavista e Benfica, deste domingo.

Depois de apontar o dedo aos números - "não é por se dizer que se tem 300 mil sócios, que se tem mais de metade" -, o presidente do Sporting fala de alegadas ameaças a jornalistas na sequência da notícia do JN sobre a data de nascimento do benfiquista Renato Sanches.

"Não é por se ameaçar jornalistas e diretores de jornais, levando a alguns a apagarem notícias online e outros a publicarem justificações patéticas que se alteram factos. 1997 já está inserido num período moderno da nossa sociedade e como tal basta publicarem o documento do nascimento do hospital Amadora-Sintra e resolvem a questão de vez", acrescenta o líder sportinguista, voltando a recordar as 27 jornadas já realizadas sem que tenha sido assinalado um penálti contra o Benfica.

Bruno de Carvalho apontou o dedo aos árbitros por não "expulsarem Renato Sanches, pelo menos quando tentou partir a perna a Bryan Ruiz [no clássico de Alvalade], voltando depois a atacar o Benfica.

"Não é por fazer almoços com antigos dirigentes do Sporting CP e ter "bufos" (que só mentem) que foram corridos do SCP ou a quem foram recusados "tachos", que se promove a desestabilização deste grande Clube", acrescentou, antes de lembrar os panfletos distribuídos por Lisboa a criticar o seu trabalho.

"Não é por se mandar fazer outdoors e panfletos de forma anónima que se deixa de perceber que os seus mentores e executantes são pequeninos e cobardes", finalizando o post com uma clara ironia: "O seu a seu dono. Agora o presidente do Benfica esteve bem".