Desporto

Derlei mantém Sporting a sonhar

Derlei mantém Sporting a sonhar

O Sporting garantiu a manutenção na segunda posição da Liga portuguesa de futebol e a continuidade na luta pelo título, ao vencer no terreno do Leixões por 1-0, em encontro da 23ª jornada.

Os "leões" aproveitaram o tento madrugador de Derlei (13 minutos) para fazer uma partida calculista, somando o quinto triunfo nos últimos seis encontros e mantendo a invencibilidade em Matosinhos desde a época 1968/69.

Os lisboetas continuam a quatro pontos do líder FC Porto e asseguraram a vantagem de pelo menos um ponto face ao Benfica, terceiro colocado, que joga hoje com o Estrela da Amadora.

Os matosinhenses, que já lideraram a Liga, somaram a quarta derrota consecutiva e foram alcançados na sexta posição pelo Marítimo, com 35 pontos.

No Leixões, o treinador José Mota optou por escalar um "onze" sem um ponta de lança fixo, deixando o ataque entregue ao haitiano Jean Sony (estreante a titular na Liga) e a Diogo Valente, com a missão de explorar as faixas laterais.

Do lado do Sporting, a ausência dos médios Izmailov e Vukcevic, lesionados, obrigou o técnico Paulo Bento a remodelar o meio campo, com Rochemback como "trinco", Pereirinha na direita, João Moutinho na esquerda e Romagnoli (substituído por Miguel Veloso, aos 35 minutos, por lesão), no apoio aos avançados.

O Leixões até entrou melhor no encontro, mas os forasteiros chegaram ao golo na primeira ocasião de perigo, aos 13 minutos: Liedson, com um excelente passe, isolou o seu companheiro de ataque Derlei, que finalizou com tranquilidade, perante o guarda-redes Beto.

A partir daí, o Sporting controlou quase por completo as operações, circulando bem a bola entre os seus jogadores, perante um meio campo leixonense muito recuado e pouco pressionante.

Com passes bem medidos para as costas da defesa leixonense e explorando intensamente a sua ala direita, os lisboetas "sufocaram" as saídas dos locais para o ataque, em que Jean Sony e Diogo Valente eram "presas" fáceis.

No segundo tempo, os matosinhenses apresentaram uma atitude mais "guerreira" e conseguiram jogar mais perto da área contrária.

Aos 51 minutos, Abel pareceu jogar a bola com a mão na sua grande área, após remate de Diogo Valente, mas o árbitro Pedro Proença nada assinalou.

Sete minutos depois, José Mota fez entrar o extremo Zé Manuel e o avançado Rodrigo Silva para os lugares de Chumbinho e Jean Sony, mas a equipa perdeu alguma criatividade a meio campo.

O Leixões, menos clarividente do que na fase inicial da segunda parte, não voltou a criar perigo, perante um Sporting muito "frio", que tentou conservar ao máximo a posse de bola.

Aos 80 minutos, após canto de João Moutinho, Liedson cabeceou ao lado, na melhor situação de perigo da segunda parte.