Ciclismo

Dia quente e "tréguas" entre candidatos deu nova vitória a Caleb Ewan no Tour

Dia quente e "tréguas" entre candidatos deu nova vitória a Caleb Ewan no Tour

O Tour regressou do segundo dia de descanso para a última etapa plana antes da abordagem ao ciclo final de montanhas ainda com "tréguas" entre os candidatos ao triunfo final, bem aproveitadas pelo ciclista australiano Caleb Ewan.

O "sprinter" da Lotto-Soudal beneficiou da chegada em pelotão na 16.ª etapa, os 177 quilómetros com início e fim em Nîmes, para juntar ao currículo um segundo triunfo na presente edição da Volta a França, que continua a ser comandada pelo francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step).

A aproximação dos Alpes, para uma série de etapas que devem ser decisivas, determinou o dia mais calmo, mas decididamente a alta temperatura, com os termómetros a passar dos 37 graus centígrados, também "desaconselhou" ataques muito determinados.

Foi uma chegada feita para os terminadores "VIP", como bem se vê pelo "top 4" na meta, com Ewan a superar o italiano Elia Viviani (Deceuninck-Quick Step), o holandês Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) e o eslovaco Peter Sagan (BORA-hansgrohe), este cada vez mais "dono" da camisola verde, símbolo da classificação por pontos.

A única alteração entre os 10 primeiros da classificação geral foi a saída do dinamarquês Jakob Fuglsang (Astana), que desistiu após queda a uma trintena de quilómetros da meta. Atordoado, o vencedor do último Dauphiné foi transportado por uma ambulância da organização.

Fugslang, de 34 anos, era nono, pelo que continuará como melhor no palmarés o seu sétimo lugar final na edição de 2013.

No primeiro pelotão entraram Alaphilippe, bem como os seus principais rivais, nomeadamente o galês Geraint Thomas (INEOS), o holandês Steven Kruiswijk (Jumbo-Visma) e o francês Thibaut Pinot (Groupama-FDJ), que o seguem na geral individual.

Thomas também caiu - é já a terceira vez que isso acontece neste Tour -, mas conseguiu reentrar no primeiro pelotão e continua na primeira linha, a defender o triunfo da edição de há um ano.

Quanto aos portugueses, foi mais uma jornada sem destaque. Nenhum dos três conseguiu sequer entrar no primeiro grupo, composto por 48 unidades.

Nelson Oliveira (Movistar) foi 59.º (a 38 segundos), José Gonçalves (Katusha) 100.º (a 2.00 minutos) e Rui Costa (UAE Emirates) 143.º (a 5.22). Na geral Costa é 58.º (a 1:25.44), Oliveira 92.º (a 2:00.55) e Gonçalves 125.º (a 2:33.50).

Na quarta-feira, o pelotão da "Grande Boucle" vai percorrer os 200 quilómetros da 17.ª etapa, entre Pont du Gard e Gap, numa tirada com duas contagens do prémio de montanha, uma de quarta e uma de terceira categoria, esta a menos de 10 quilómetros da meta.