Automobilismo

Dilúvio afunda Mercedes no GP da Alemanha de F1 e fez emergir Max Verstappen

Dilúvio afunda Mercedes no GP da Alemanha de F1 e fez emergir Max Verstappen

O holandês Max Verstappen (Red Bull) venceu este domingo um Grande Prémio da Alemanha marcado pela chuva, que afastou dos pontos os dois Mercedes pela primeira vez em mais de um ano no Mundial de Fórmula 1.

Com as três primeiras voltas da 11.ª corrida da temporada a serem feitas atrás do "safety car" devido à água acumulada na pista, o piloto holandês, de 21 anos, demorou 1:44.31,275 horas a cumprir as 64 voltas, cimentando a terceira posição do campeonato graças à segunda vitória da temporada, sétima da carreira.

Verstappen até começou mal a corrida no circuito de Hockenheim, caindo de segundo para quarto no arranque, enquanto o britânico Lewis Hamilton (Mercedes) saía disparado para a liderança, levando atrás de si o companheiro de equipa, o finlandês Valtteri Bottas.

Enquanto isso, o alemão Sebastian Vettel (Ferrari) recuperava posições, depois de ter largado do 20.º e último lugar da grelha e já era 14.º à passagem da quinta volta.

Na 27.ª volta, Hamilton cometeu um erro, fez um pião e entrou nas boxes fora do local assinalado, o que lhe custou cinco segundos de penalização e ainda perdeu tempo a mudar a frente do seu Mercedes, que tinha ficado danificada. O britânico ainda faria outro pião, na volta 54, na curva um.

O descalabro da Mercedes, a correr em casa e a festejar 125 anos no desporto motorizado, aconteceu com o despiste de Valtteri Bottas pouco depois, no mesmo local. Pelo caminho também já tinha ficado o Ferrari do monegasco Charles Leclerc.

Verstappen, que também não conseguiu evitar um pião, acabaria por vencer pela segunda vez este ano (também se impôs na Áustria), deixando Vettel em segundo lugar, a 7,333 segundos e o russo Daniil Kvyat em terceiro, a 8,305 segundos.

O holandês conseguiu ainda a volta mais rápida da corrida, somando um ponto extra para o campeonato. "O segredo foi não cometer muitos erros", disse Verstappen, no final, enquanto o alemão confessou-se "muito divertido", mas admitiu que foi "muito duro com estas condições".

"O meu objetivo era sempre apanhar o carro seguinte. Estava toda a gente a ser muito cautelosa na primeira curva e eu fazia a fundo", explicou

Com estes resultados e com o facto de o líder do Mundial, Lewis Hamilton, não ter pontuado (foi 11.º, a 19,667 segundos do vencedor), Verstappen tem agora 162 pontos, contra 184 de Bottas e 223 de Hamilton.

A Mercedes não ficava em branco desde o GP da Áustria de 2018, há mais de um ano, mas lidera o Mundial de construtores, com 407 pontos, enquanto a Ferrari é segunda, com 261.

Este foi ainda o segundo pódio da Toro Rosso. O primeiro foi em 14 de setembro de 2008, com a vitória de Sebastian Vettel em Itália.

A próxima corrida do Campeonato do Mundo de F1 está marcada para 04 de agosto, na Hungria.